Ainda não foi desta vez que o melhor jogador do mundo conseguiu levar a sua seleção a um título de expressão. Comandado por Ricardinho, Portugal parou na Argentina na semifinal do Mundial, nesta quarta, em Cali, na Colômbia. Os 5 a 2 – gols de gols de Borruto, Stazzone, Alamiro Vaporaki, Brandi e Cuzzolino, com Ré e Tiago Brito descontando – colocam os hermanos na decisão pela primeira vez na história da Copa do Mundo Fifa. A final será neste sábado, novamente em Cali, às 16h30 (de Brasília), com transmissão ao vivo do SporTV.

FIFA

Poucos apostavam nos argentinos na final

A adversária na briga pelo título será a seleção da Rússia, que bateu o Irã por 4 a 3 na outra semi, disputada nesta terça, em Medellín. Tanto os russos quanto os argentinos buscam o primeiro caneco da competição mais importante do futsal. Irã e Portugal decidem o terceiro lugar também no sábado, às 14h.

O jogo

A partida começou movimentada com as duas equipes buscando o ataque. Aos dois minutos, o ala português Bruno arriscou da intermediária, e Sarmento se esticou para fazer grande defesa. A resposta da Argentina veio dois minutos depois. Após receber passe na entrada da área, o artilheiro Borruto bateu forte, e Bebé desviou para escanteio. Aos cinco, porém, não teve jeito. Borruto dominou no ataque, deu um lindo chapéu no goleiro português e estufou as redes: 1 a 0 para a Argentina.

Portugal quase empatou aos seis. Em linda jogada individual, Tiago Brito deu uma caneta em Basile e tocou na saída de Sarmento. Stazzone conseguiu chegar a tempo afastando o perigo em cima da linha. Aos oito, Ré arriscou de longe e lá estava Sarmento para fazer a defesa. De tanto insistir, Ré igualou o placar no minuto seguinte, ao completar passe de Bruno da direita. A Argentina não se abateu e foi buscar o segundo gol pouco depois. Após passe de Wilhem, Stazzone ficou livre para fazer 2 a 1.

FIFA

Ricardinho é o principal jogador português, mas não evitou a derrota

Empolgados, os sul-americanos aproveitaram para marcar o terceiro aos 12. O autor foi Alamiro Vaporaki, completando com o peito uma bola chutada da intermediária. Perdida em quadra naquele momento da partida, a seleção portuguesa levou o quarto gol segundos depois, com Brandi. O lance foi a senha para o técnico Jorge Braz parar o jogo para dar uma bronca em seus jogadores. Aos 15, Ricardinho quase marcou em rebote de chute de Cardinal que pegou no travessão. Nos segundos finais, foi a vez de Cardinal chegar atrasado em bola concluída por Bruno, no último lance de perigo da etapa.

A Argentina voltou para o segundo tempo com uma postura mais defensiva. Na base do abafa, Portugal esteve perto de marcar aos três, quando Cardinal ganhou disputa de bola na força e finalizou rente à trave. Aos cinco, Ricardinho achou espaço para bater em gol e mandou para fora. Dois minutos depois, Ré avançou pela ala direita e chutou cruzado. Sarmento tirou com o pé, evitando o gol de Tiago Brito. Aos dez, o técnico Jorge Braz lançou André como goleiro-linha. Pouco depois, foi o fixo Bruno quem passou a ocupar a função.

Aos 15, Tiago Brito finalizou da entrada da área, e lá estava Sarmento para salvar a Argentina mais uma vez. Para aumentar ainda mais o drama português, Cuzzolino fez o quinto gol argentino em cobrança de falta aos 16, praticamente sacramentando a classificação. Portugal ainda conseguiu diminuir aos 17, com Tiago Brito, mas já era tarde. A vaga na final ficou mesmo com a equipe sul-americana, que festejou muito dentro de quadra.