Duas semanas após amargar o vice-campeonato da Liga Nacional de Futsal (LNF), a Assoeva voltou a disputar mais uma decisão nesta quinta-feira. Depois de fazer 3 a 1 no Atlântico no jogo de ida, no Parque do Chimarrão, a equipe de Venâncio Aires precisava apenas de um empate para conquistar o inédito título da Liga Gaúcha. A partida em Erechim foi nervosa com direito a duas expulsões e uma briga generalizada durante o primeiro tempo. Só que teve futsal também. E dois gols de Valdin, um deles um golaço. Apesar da grande atuação do seu ala/pivô, a Assoeva sofreu uma virada nos últimos minutos e perdeu a volta por 6 a 4. A definição da taça então foi para os pênaltis, e o time visitante levou a melhor após cobrança errada de Nenê, faturando o seu primeiro Estadual.

Reprodução SporTV

Assoeva conquista o inédito título estadual

Além dos gols de Valdin, a Assoeva marcou com Sacon e Bruno Petry. Murilo (três vezes) balançou a rede para Erechim, antes de Nenê, Boni (contra) e Café fazerem os seus.

O Carlos Barbosa segue como o maior campeão gaúcho com onze títulos, seguido pelo Internacional com oito. O Atlântico Erechim, que buscava o bicampeonato seguido, soma três conquistas no currículo.

A Assoeva saiu na frente aos oito minutos do primeiro tempo. Após arrancar sozinho, Valdin deu um drible desconcertante em Djony e tocou para o gol vazio. Aos 15, o árbitro expulsou Bruno Petry, deixando o Atlântico Erechim com um jogador a menos por cinco minutos. A Assoeva aproveitou para ampliar com Sacon, que definiu o placar da primeira etapa em 2 a 0.

O Atlântico voltou melhor para o segundo tempo, empatando a partida em oito minutos. O autor dos dois gols foi Murilo. O primeiro foi em cobrança de falta. O outro em um belo chute de bate-pronto. Só que o time da casa voltou a ter um jogador expulso, deixando a partida nas mãos da Assoeva. Quem recebeu o cartão vermelho nesta vez foi Vilian, que deu um leve tapa no rosto de Ygor.

O castigo veio nos minutos seguintes. Aos nove, Valdin fez 3 a 2. No minuto seguinte, Renatinho marcou o quarto gol da equipe de Venâncio Aires. O técnico Giba então arriscou tudo com goleiro-linha nos minutos finais. Deu certo: Murilo fez o terceiro dele, Nenê deixou tudo igual, Boni marcou contra, e Café ampliou, definindo o placar no tempo regulamentar (6 a 4).

O duelo foi para os pênaltis. Foram nove cobranças convertidas até o momento decisivo. Nenê chutou a bola no travessão, e Assoeva enfim pôde soltar o grito de campeão gaúcho.