Irmão do campeão mundial Betão, Douglas Nunes estava numa manhã inspirada. Com dois gols do pivô de 25 anos, o Brasil descomplicou o jogo contra a forte seleção da Polônia, em Uberaba (MG), faturando o Desafio Internacional de Futsal com uma vitória por 5 a 0 – na sexta, a seleção havia batido os poloneses por 3 a 1. Os outros gols brasileiros foram marcados por Leandro Lino, Sinoê e Marcel. A seleção não tem data definida para voltar a jogar. A intenção da Confederação Brasileira de Futsal (CBFS) é marcar mais amistosos contra europeus e asiáticos ao longo do ano.

Ricardo Artifon

Douglas Nunes, o artilheiro deste domingo

Diferentemente da partida de sexta-feira, o Brasil não demorou a abrir o placar Aos três minutos, Leandro Lino recebeu passe da ala direita e mandou para o fundo do barbante. O gol empolgou a seleção brasileira que quase ampliou segundos depois, com Rodrigo. Atento, o goleiro Kaluza fez a defesa. A Polônia finalizou pela primeira vez aos quatro, quando Grubalski tentou acertar o ângulo esquerdo de Guitta, que conseguiu espalmar pela linha de fundo.

Ricardo Artifon

O polonês Lutecki tenta a jogada marcado de perto por Marcel

Aos seis minutos, o técnico Marquinhos Xavier lançou o segundo quarteto, com os corintianos Daniel, Renatinho e Douglas, e Felipe Valério, do Carlos Barbosa. Na primeira boa trama brasileira depois da troca, Felipe Valério avançou pela esquerda e encheu o pé. Kaluza conseguiu pegar. Aos nove, foi a vez de Douglas assustar a defesa polonesa. Seguro, Kaluza pegou novamente. Dois minutos depois, a Polônia esteve perto de empatar. Após dominar no ataque, Lutecki bateu no canto, e Guitta foi buscar.

Faltando dez minutos para o intervalo, Marquinhos Xavier colocou o Brasil com um quarteto formado por Gleidson, Kevin, Bateria e Sinoê. Aos 13, Sinoê avançou sozinho, mas o goleiro polonês saiu da meta para fazer a defesa. No minuto seguinte, o mesmo Sinoê finalizou com perigo para mais uma defesa do camisa 1 da Polônia. Aos 18, já com o quarteto inicial em quadra, Leandro Lino fez jogada individual e chutou rasteiro. Kaluza tirou com o pé. O Brasil seguiu pressionando até o fim do primeiro tempo. Na última chance da etapa, Marcel finalizou rente ao travessão.

Ricardo Artifon

O capitão brasileiro Rodrigo é vigiado por Zastawnik, da Polônia

O segundo tempo começou animado. Com 20 segundos jogados, Daniel quase marcou, tocando na saída do goleiro reserva Widuch, que entrou no lugar de Kaluza. O lance foi um prenúncio do que viria a seguir. Após sobra de bola na área polonesa, Douglas empurrou para o gol, fazendo 2 a 0. Com uma vantagem mais confortável, a seleção brasileira se soltou ainda mais em quadra. Aos quatro, Renatinho invadiu a área pela direita e bateu para fora.

Refeita do golpe sofrido no início da etapa final, a Polônia voltou a levar perigo aos nove. Em jogada em velocidade, Lutecki saiu na frente de Guitta, que fez o corte de carrinho. Segundos depois, Kriezel invadiu a área brasileira e concluiu para mais um defesa do camisa 1 do Brasil. O castigo pelas chances desperdiçadas veio aos dez. Após dominar na direita, Sinoê tocou com categoria marcando o terceiro.

Ricardo Artifon

Guitta voa para fazer a defesa

O jogo passou a ficar mais aberto a partir de então. Widuch fez defesa milagrosa em chute à queima-roupa de Renatinho. Na sequência, porém, o camisa 12 da Polônia nada pôde fazer, pois Douglas apareceu na área para fazer o seu segundo gol no jogo. A porteira estava aberta. Aos 12, Marcel aproveitou buraco na defesa adversária e concluiu rasteiro para ampliar para 5 a 0. A partir de então, a torcida uberabense passou a gritar “olé”. Com a vitória garantida, coube ao Brasil apenas administrar o resultado até o apito final.

Brasil: Guitta, Rodrigo, Leandro Lino, Marcel e Rocha. Entraram: Daniel, Renatinho, Douglas, Felipe Valério, Kevin, Gleidson, Bateria, Sinoê e Gian Wolverine. Técnico: Marquinhos Xavier.

Polônia: Michal Kaluza, Tomasz Kriezel , Tomasz Lutecki, Mikolaj Zastawnik e Sebastian Leszczak. Entraram: Marcin Mikolajewicz, Sebastian Wojciechowski, Robert Gladczak, Dominik Solecki, Tomasz Kriezel, Mateusz Cyman, Michal Wojciechowski, Sebastian Grubalski, Michal Widuch e Michal Marek.. Técnico: Blazej Korczynski.