A experiência de Falcão, aliada a um elenco jovem e habilidoso, foi a receita para a goleada da seleção brasileira no segundo amistoso contra a Costa Rica, neste domingo, em Cuiabá (MT). Após dificuldades geradas pela falta de entrosamento no início, a seleção brasileira deslanchou no segundo tempo e derrotou os rivais por 5 a 1, com gols de Falcão (2),Marcel, Feitosa e Feitosa. Cascanti descontou para os rivais. No último minuto, Falcão recebeu um passe na medida de Keké e teve frieza para esperar o goleiro cair e da cavadinha para selar a vitória. O camisa 13 da amarelinha fez questão de elogiar o companheiro, que saiu de quadra com duas assistências.

– O Keké é um resquício dos jogadores da minha geração, que fica pensando o tempo inteiro, Jopgar com o Keké é um prazer. Ele sempre sabe o que vai fazer. No escanteio, eu olhei para ele e ele já fez a jogada – disse Falcão em uma entrevista ao SporTV.

No primeiro amistoso, na última sexta-feira, em Campo Verde (MT), o time comandado pelo técnico Marquinhos Xavier venceu os costa-riquenhos por 3 a 1.

Ricardo Artifon

Falcão marcou dois gols no confronto contra a Costa Rica

Brasil deslancha no segundo tempo

Marcel abriu o placar no ginásio da UFMT com um chute cruzado. A falta de entrosamento da seleção brasileira, no entanto, não a deixou deslanchar e permitiu a reação adversária. Cascanti recebeu livre e tirou do Careca para empatar por 1 a 1. O Brasil tentou responder com Feitosa, mas a bola explodiu na defesa e foi para fora. Pouco depois, Feitosa recebeu um passe açucarado na área, se movimentou e acertou um foguete para estufar a rede da Costa Rica. A seleção pressionou os rivais no ataque, mas os rivais levavam perigo no contra-ataque. No último segundo do primeiro tempo, Careca precisou defender um chute forte à queima-roupa e salvou o Brasil.

Logo no início do segundo tempo, Careca foi exigido três vezes e fez grandes defesas para evitar o empate. No contra-ataque, Lino fez uma bela jogada, partiu rumo ao ataque, fez uma tabelinha com Douglas e encheu o pé para ampliar: 3 a 1. A Costa Rica reagiu e pressionou no ataque, enquanto o Brasil mantinha a posse de bola pela maior parte do tempo, contudo, cometia alguns erros de passe. Em jogada de bola parada, Keké bateu o escanteio nos pés de Falcão, que dominou e chutou com categoria para fazer o quarto gol. Depois de uma arrancada de Lino, a bola resvalou no goleiro e caiu nos pés de Falcão, que quase anotou mais um no minuto final.

Habilidoso, Keké fez uma bela jogada, roubou a bola no meio do campo, enganou o goleiro e tocou para Falcão, na cara do gol, fazer mais um. O craque da amarelinha demonstrou frieza e esperou o goleiro adiantado cair para dar a cavadinha e selar a vitória por 5 a 1.