Depois de eliminar Brasil e Paraguai na fase de mata-mata da Copa do Mundo Fifa, o Irã quer chegar à inédita final na Colômbia. Para isso, o time asiático precisa superar um dos países que mais importa mão de obra brasileira no futsal. Comandada pelo “quarteto brazuca” formado por Gustavo, Rômulo, Robinho e Eder Lima, a Rússia também tenta a classificação para a sua primeira decisão. O duelo entre iranianos e russos será nesta terça-feira às 21h (de Brasília), em Medellín, com transmissão ao vivo do SporTV2.

FIFA

Eder Lima é um dos brasileiros a atuar pela Rússia

– Vai ser um jogo muito difícil, já jogamos vários amistosos contra o Irã e todos foram muito duros. Estamos nos preparando para uma partida complicada, porque o Irã hoje é um dos favoritos ao título – afirmou Robinho, que espera contar com o apoio da torcida brasileira.

– Teremos parentes e amigos torcendo para a gente, e esperamos que os brasileiros em geral também torçam para a Rússia. Sei que muitas pessoas discordam dessa coisa de se naturalizar para jogar para o outro país, mas mesmo assim estamos aguardando esse apoio – disse o pivô.

Com cinco vitórias em cinco jogos no Mundial, a Rússia chega à semifinal com uma campanha impecável. Depois de vencer Tailândia (6 a 4), Egito (6 a 1) e Cuba (7 a 1) na primeira fase, a seleção russa atropelou o Vietnã nas oitavas com uma impiedosa goleada por 7 a 0. Nas quartas, a adversária foi a poderosa Espanha, que voltou para casa com uma marcante derrota por 6 a 2. Semifinalista nas Copas do Mundo de 1996, 2000 e 2008, a Rússia espera sair com o título desta vez.

FIFA

Robinho comemora gol da Rússia

– Favoritismo nessa hora é difícil de falar. Acho que todas as equipes que chegaram à semifinal estão em condições de disputar o título. Quando não há Brasil e Espanha envolvidos é muito difícil apontar algum favorito – disse o goleiro Gustavo.

Natural de Pelotas (RS), Gustavo mudou-se para a Rússia em 2004. Casado com uma russa, ele se naturalizou em 2010 após destacar-se na liga local. Titular do Dínamo de Moscou, o gaúcho acredita que a sua seleção evoluiu em reação ao Mundial de 2012, na Tailândia, quando caiu diante da Espanha nas quartas de final.

– Estamos com um elenco mais jovem, com uma base muito boa da equipe do Gazprom-Ugra, atual campeão europeu. Esses jovens se juntaram aos atletas experientes e isso tem dado uma química muito boa para o nosso time – comentou o brasileiro.

Pelo lado do Irã, as atenções ficam voltadas para o fixo Ahmad Esmaeilpour. Conhecido como o “carrasco sul-americano” por ter marcado os gols que determinaram as eliminações de Brasil e Paraguai neste Mundial, o defensor afirma estar vivendo o melhor momento da vida.
– Foi como se eu tivesse ido ao céu nestes últimos jogos – disse Esmaeilpour ao site da Fifa. – São dois momentos que eu vou guardar para sempre. No gol contra o Paraguai, eu disse para mim mesmo que aquela era a oportunidade de definir a nossa classificação. Não poderia desperdiçar a chance de maneira alguma, e felizmente consegui dar a vitória à minha equipe – destacou.

FIFA

Irã comemora classificação ante o Brasil

Quem passar do duelo entre Rússia e Irã pega o vencedor de Argentina e Portugal, que se enfrentam na quarta-feira, às 21h (de Brasília), em Cáli. Assim como russos e iranianos, argentinos e portugueses também nunca chegaram a uma final de Mundial.