Getty Images

Os meninos que têm entre 11 e 16 anos e o técnico de 25 anos ficaram presos no dia 23 de junho, em caverna da Tailândia 

A participação do Brasil no futsal dos Jogos Olímpicos da Juventude já proporcionou um momento histórico e emocionante. Os garotos tailandeses que ficaram presos em uma caverna, no mês de julho, encontraram atletas e membros da comissão técnica da Seleção Brasileira nesta segunda-feira (8/10), em Buenos Aires, sede da competição.

Goleiro do Brasil, Matheus Barbosa afirma que o encontro também serve de inspiração para a Seleção, que busca o título na primeira participação do futsal nos JOJ.

Divulgação

Jogador da seleção brasileira de base com jovem que ficou preso em caverna na Tailândia

“Essa história deles é motivação para qualquer um. Eles ficaram duas semanas numa caverna. Por qual motivo a gente não vai conseguir vencer? Tudo é pequeno perto do que eles passaram”, destaca.

O Brasil está no Grupo B da competição, ao lado de Rússia, Irã, Costa Rica e Ilhas Salomão. Esta é a primeira vez que o futsal participa dos Jogos Olímpicos da Juventude, considerado uma porta de entrada para as Olimpíadas. Um total de 32 esportes terão disputas de medalhas. Além do Futsal, Karatê, Escalada, Breaking, Corrida de Patins, Kite, Beach Handball e BMX Freestyle também aparecem pela primeira vez na lista dos jogos.

O caso

Os meninos que têm entre 11 e 16 anos e o técnico de 25 anos ficaram presos no dia 23 de junho, quando exploravam o vasto complexo de cavernas da província de Chiang Rai, no norte tailandês, porque uma chuva sazonal intensa inundou os túneis. O primeiro contato com o resgate, e a saída do local duraram juntos mais de duas semanas.