Mais uma temporada da Liga Nacional de Futsal (LNF) se aproxima. O Minas já está em fase de preparação para a principal competição nacional da modalidade. Para a temporada 2019, a equipe minastenista passou por grande reformulação. A primeira delas veio no comando do time. Técnico do Sub-20 e auxiliar do time principal nos últimos três anos, Peri Fuentes assumiu o comando da equipe.

Orlando Bento

Goleiro Anderson em ação pelo Minas na LNF 2018

O elenco será formado por jovens atletas. A maioria formada nas categorias de base do Minas e já conhecida do atual treinador do futsal minastenista. Um deles é o goleiro Anderson, que, em 2019, terá o primeiro ano como atleta adulto.

O início

No fim de 2013, Anderson participou de um teste de seleção para atletas da base do futsal. Após ser observado e aprovado pelos avaliadores, passou a integrar a equipe Sub-17, comandada por Luiz Henrique Taveira, hoje chefe do departamento da modalidade.

“Eu cheguei no Minas depois do convite de um amigo meu, era para fazer inscrição no teste de seleção de atletas, que ocorre no fim do ano. Eu fiz a inscrição, junto com ele, e o teste no fim de 2013. Passei na primeira etapa. Em 2014, fiz algumas semanas de treino com a equipe Sub-17. Quando fui aprovado pelo Taveira, que era o técnico da época, em 2014, integrei a equipe Sub-17 do Minas”, comentou.

Ao todo, foram cinco temporadas como atleta da base do futsal minastenista. No período, conquistou títulos, amadureceu e passou a ter as primeiras chances com a equipe principal.

Orlando Bento

Anderson durante treinamento do Minas na Arena MTC

“Passei cinco anos na base, desde o meu primeiro ano de Sub-17 até o último ano de Sub-20. Conquistei três vezes o título de campeão mineiro no Sub-20, um vice-campeonato da Taça Brasil na categoria. Esse período foi bastante produtivo, consegui amadurecer, conhecer mais do futsal e ter algumas oportunidades na equipe adulta”, revelou o goleiro.

Para Diogo Barros, treinador de goleiros do futsal minastenista, Anderson vem apresentando grande evolução nos últimos anos. “Nos últimos dois anos com o adulto, que foram os anos que ele teve com o Sub-20 (2017 e 2018), ele teve uma evolução muito grande, principalmente na temporada passada, que foi quando ele precisou jogar mais vezes do que vinha jogando. Foram partidas decisivas, como Taça Brasil, quartas de final de Liga, outros jogos importantíssimos da LNF. Então, a ideia para este ano é que ele continue nessa constante evolução, porque ele ainda é novo, ainda tem muita coisa pela frente. Temos muitas situações que estamos treinando bastante, para ele ser melhor lapidado”, contou com o preparador.

Para Diogo, é natural que a responsabilidade do arqueiro aumente. “Nesse primeiro ano de adulto, é uma responsabilidade a mais para ele. O Anderson vai ter que assumir algumas situações que não vinham acontecendo, porque ele era um atleta da base até o fim de 2018. Então, tinha responsabilidade menor, mas a gente espera essa evolução que ele vem tendo, que tenha regularidade nos jogos, regularidade técnica, emocional e física, porque jogamos muito pouco em Minas Gerais. Qualquer oportunidade de jogo é importante para ele”, completou.

Orlando Bento

Anderson já está entre os grandes goleiros do futsal brasileiro

Por fazer parte de uma equipe formada por atletas jovens, muitos deles ainda defendendo as categorias de base do Minas, Anderson sabe que é um dos líderes do time. Apesar de ter apenas 20 anos, o arqueiro já é um jogador experiente e reconhece o papel que terá no grupo.  “Sinto que tenho uma responsabilidade de contribuir para liderar essa equipe, porque já estou no meu quarto ano trabalhando com o Peri. Então, já sei boa parte das cobranças dele. Tenho bastante entendimento sobre o que ele propõe. E também por ser um dos remanescentes do grupo passado, por estar bastante tempo no Minas. Mesmo sendo novo, apesar da idade, já passei por algumas experiências. Ano passado, joguei praticamente a Liga toda, joguei a Taça Brasil adulta. Sei que vou ter bastante responsabilidade e irei contribuir para liderar a equipe, para ajudar de alguma forma”, destacou Anderson.

Em 2017, Anderson, além de atuar no Sub-20, passou a compor o elenco do time profissional. No ano passado, foi titular em quase todos os desafios da temporada da equipe adulta. Ele também defendia a meta do Sub-20, comandado por Peri Fuentes.

“O Anderson é um atleta que trabalhou três anos comigo no Sub-20. Em 2016, no primeiro ano, ficou direto no Sub-20. Nos anos de 2017 e 2018, trabalhou comigo, mas passou mais tempo com o time adulto. A gente tem uma expectativa e uma visão dele com um potencial grande de amadurecimento e crescimento como atleta. É um cara que tem nossa total confiança. Em 2016, ele foi o goleiro menos vazado da Taça Brasil Sub-20”, lembra Peri.