Basta uma rápida visita aos perfis de Djony nas redes sociais para constatar que o goleiro do Pato Futsal é um apaixonado por música. Acostumado a tocar banjo, o catarinense com passagens pela seleção brasileira tem no instrumento o seu mais fiel companheiro. A paixão é tanta que o goleiro de 33 anos toca até em viagens e concentrações da sua equipe. O Pato chegou ao inédito título da Liga Nacional de Futsal ao vencer o Atlântico na prorrogação da decisão, por 2 a 1, depois da derrota no tempo normal, por 4 a 2. Este é o segundo título da LNF do goleiro.

Flávio Dilascio

Djony leva o banjo nas viagens do Pato, atual campeão da LNF

“Toco instrumento desde os meus 13, 14 anos. Como gosto muito de samba, comecei no cavaquinho, daí o meu irmão e o meu pai entraram na onda também e passamos a tocar até percussão. O meu irmão Diogo, inclusive, virou músico profissional. Vejo muita gente começar a tocar e parar. Comigo isso não aconteceu, levo o meu banjo nas viagens e toco em tudo quanto é lugar”, disse Djony, que deu uma palinha do seu talento após o treino da última sexta em Erechim.

Campeão da LNF em 2011 com o Santos, Djony vive um dos melhores momentos da carreira. Além das defesas, o camisa 1 do Pato tem se destacado com os seus chutes de longa distância. Na edição da Liga 2018, o goleiro balançou a rede três vezes, inclusive no primeiro jogo da final contra o Atlântico, quando os paranaenses triunfaram por 6 a 0.

Mauricio Moreira

Pato venceu o Atlântico na decisão da LNF 2018

Para o duelo derradeiro, Djony voltou a se destacar com defesas fundamentais, também foi utilizado no ataque. A última bola do jogo, na finalização de Silva, Djony evitou o gol e viu a torcida do Pato no ginásio vibrar intensamente. O Pato é campeão da maior e mais tradicional competição da modalidade no país.

“O time está muito bem, empolgado, bem psicologicamente e sabíamos da dificuldade que  enfrentaríamos em Erechim. O grupo mereceu este título, assim como toda torcida e a cidade de Pato Branco”, completou.