Quem está acostumado a assistir aos jogos de futsal deve ter se surpreendido com a atuação do ala Falcão no último domingo (19), na goleada de 5 x 1 da Seleção Brasileira sobre a Costa Rica. Claro que esse estranhamento não ocorreu pelo desempenho em quadra, mas porque – depois de muitos e muitos anos – o craque entrou em quadra sem a sua tradicionalíssima camisa 12. Durante todo o confronto, ele teve o número 13 nas costas.

Ricardo Artifon

Falcão usou a camisa 13 simbolizando a campanha Novembro Azul

Esse fato raro, no entanto, ocorreu em razão de uma causa extremamente nobre: Falcão aderiu à campanha Novembro Azul, em busca de conscientizar os homens sobre a importância de fazer exames preventivos ao câncer de próstata, que provoca, a cada ano, cerca de 13 mil mortes no Brasil – por isso, o craque jogou com o número 13.

A ação é uma iniciativa da marca de alimentos para cães e gatos Magnus, patrocinadora do time defendido por Falcão, o Magnus Futsal, de Sorocaba (SP), e também da Seleção Brasileira. “O Falcão é um dos maiores atletas do nosso país e, aos 40 anos, é o personagem ideal para ser o símbolo de uma campanha tão importante, capaz de salvar a vida de tantos homens”, explica Rodrigo Luporini, coordenador de marketing esportivo da empresa.

Segundo o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca), o Brasil deve registrar, neste ano, 61,2 mil casos e 13,7 mil mortes provocadas pelo câncer de próstata – a segunda doença mais comum entre os homens no país, atrás apenas do câncer de pele não-melanoma.