Desde a apresentação em 19 de setembro de 2017, lá se vão dois anos, oito competições oficiais e seis finais. Estes são os números do técnico Giba à frente do Atlântico. E nesta quinta-feira, dia 19, ele comemora dois anos como treinador do Galo.

Edson Castro

Giba vem fazendo história no comando do Atlântico

A história de Giba com o Galo não é apenas feita deste período. “São oito anos, seis como atleta e estes dois como treinador”, lembra ele. Como atleta, por exemplo, ele ajudou o time a chegar a final da Liga Nacional em 2005. Depois, o Galo voltou a decidir a LNF em 2018, justamente com ele como técnico. “São momentos importantes. Lembro que quando cheguei o objetivo era voltar a passar das quartas de final da Liga. Conseguimos ir à final e certamente foi muito importante para mim e para o clube”, frisa.

Para ele, defender o Atlântico é motivo de orgulho. “Estou em um dos grandes clubes do futsal brasileiro, fico feliz pelos resultados alcançados nestes dois anos, mas sei que quanto mais se ganha, mais se aumenta a pressão e certamente seguimos trabalhando para que novas conquistas aconteçam”, diz o técnico.

Este ano, ele pode comemorar também seu segundo título da Taça Brasil, o primeiro como treinador e justamente defendendo o Atlântico. “Representa muito em minha vida, mas sei que as conquistas não se obtém sozinho. Temos uma equipe que nos ajuda muito neste sentido, o Elton (Dalla Vécchia, supervisor), o Igor (Braga, preparador de goleiros), o Triches (Waldir, roupeiro), nossos fisioterapeutas, equipe médica, diretoria, que asseguram o suporte necessário para que possamos trabalhar em busca dos objetivos”, enfatiza Giba.

E para finalizar, claro, não poderia deixar de haver um agradecimento ao torcedor. “Este torcedor que acredita no nosso trabalho, que nos apoia, incentiva na busca de novas conquistas, certamente cabe um agradecimento especial”, completa o técnico.