Artilheiro da Série Ouro do Paranaense de Futsal com três gols em dois jogos, o ala-esquerdo Guina já caiu nas graças da torcida do Cresol/Marreco Futsal. O jogador de 31 anos foi um dos destaques do Floripa no ano passado, tanto na Liga Nacional de Futsal (LNF), como no título do Campeonato Catarinense.

A habilidade dentro de quadra, o jeito comunicativo e a humildade no contato com os torcedores fazem de Guina um candidato a ídolo no Ginásio Arrudão. Com passagens por times de tradição no futsal brasileiro, como Intelli, Joinville, Petrópolis e Minas, Guina teve também mais de 50 convocações para a Seleção Brasileira.

Seus dribles desconcertantes fazem a torcida gritar seu nome das arquibancadas. “Hoje, no futsal, tá cada vez mais difícil fazer essas jogadas bonitas, mas eu sempre tento. Eu uso como recurso, não pra provocar o adversário. Uma coisa que os torcedores sempre me pedem é o elástico. Esse ano tem que sair de novo”, comenta o camisa 10 do Cresol/Marreco. “Nosso time é novo, mas tem muita qualidade. Temos ainda muito a evoluir. Vamos disputar torneios de muita competitividade. Queremos chegar o mais rápido possível perto da excelência.”

Adolfo Pegoraro/Divulgação

Destaque no Floripa em 2016 está agradando aos beltronenses

Título do Paranaense

Todos os jogadores do Marreco Futsal sabem da pressão que vão enfrentar para buscar o inédito título do Paranaense. Mesmo assim, segundo Guina, está todo mundo preparado para enfrentar esse tipo de situação. “É o meu primeiro paranaense, espero brigar pelo título. Sou pé quente, já fui bicampeão mineiro e tricampeão catarinense. Costumo dizer pra minha esposa que o único estadual que eu não consegui foi o carioca, quando joguei no Petrópolis, mas foi lá que conheci a minha esposa, então ganhei uma grande família, o que foi muito bom também. Em todos os times que passei, conquistei títulos. Espero que seja assim aqui também. O Paranaense é sempre muito atrativo, é prazeroso estar aqui neste ano. Vai ser uma responsabilidade muito grande, mas estamos preparados. Todos nós queremos o título paranaense”, diz Guina.

Clássico das Penas

Uma competição o Cresol/Marreco Futsal já disputou, a Taça Brasil. Já começou o Paranaense e a Liga Nacional. Mas tem um campeonato à parte que os jogadores vão precisar se preparar muito bem: o Clássico das Penas. Guina, que viveu algo parecido ano passado (Floripa x Joinville) diz que está ansioso para jogar contra o Pato Futsal. “Jogar um clássico é sempre especial. A gente sabe que o Pato Futsal está com uma equipe muito boa. Vai ser ótimo para os torcedores dos dois lados. Vai ser um prazer muito grande fazer parte do Clássico das Penas, que é muito famoso no Paraná. Não vai ser fácil, mas vai ser muito legal.”

Carinho da torcida

Guina diz que a torcida beltronense está tratando muito bem os jogadores do Cresol/Marreco. “Quero agradecer o apoio de todos os torcedores nos treinamentos, nas redes sociais. Podem ter certeza que o torcedor faz parte da equipe, é o nosso sexto jogador.”

O apelido
Quando era adolescente, até os 16 anos, Guina jogou na base do futebol do Flamengo. Como seus colegas e seus professores tinham dificuldade de pronunciar o sobrenome Ignatiuk, o apelido veio naturalmente. “Tinha vários Tiagos. Era difícil falar Ignatiuk. No começo ficou Igna. Mas eles simplificaram para Guina. Eu gostei e segui assim”, conta. “Tentei jogar futebol no Flamengo, na base, não consegui seguir no campo, a gente tinha que perder o dia todo. No futsal eu pude conciliar com o estudo. O futebol depende muito de política, no futsal é mais fácil você crescer com seu mérito. Não me arrependo de ter seguido nessa modalidade”, acrescenta.

Liga Nacional
Embora seja apenas a segunda Liga Nacional do Cresol/Marreco, Guina acredita que a equipe de Francisco Beltrão pode surpreender na edição 2017. “O futsal tá bem nivelado, a gente tem condições de buscar nosso espaço. O Marreco tá crescendo muito, já é um dos principais times do País. Claro que não vai ter jogo fácil, mas podemos sonhar alto na competição. Temos jogadores experientes, que já jogaram várias ligas, que já foram campeões, isso é muito importante”, comenta Guina.

Ficha técnica
Nome: Tiago de Almeida Ignatiuk Wanderley
Apelido: Guina
Data de nascimento: 11/6/1985
Local: Rio de Janeiro (RJ)
Peso: 73kg
Altura: 1,75m
Último clube: Floripa (SC)
Outros clubes: América (RJ), Flamengo (RJ), Tio Sam (RJ), Minas (MG), El Pozo (ESP), Petrópolis (RJ), Joinville (SC), Al Qadsia (Kuwait) e Intelli (SP).
Títulos: 2 estaduais de Minas Gerais, 3 estaduais de Santa Catarina, 1 estadual no Rio de Janeiro, 1 Lusofonia com a Seleção Brasileira, 1 Copa Paulista, 1 Super Liga, 2 títulos nacionais do Kuwait, 1 título da Copa do Rei do Kuwait e 2 títulos da Super Copa do Kuwait.