O Magnus é tricampeão mundial de futsal. Na manhã deste domingo, em Bangkok, na Tailândia, o time brasileiro venceu o Boca Juniors por 3 a 1 nos pênaltis, após empate no tempo normal por 2 a 2 e sem gols na prorrogação. Ao lado do Carlos Barbosa, o Magnus é o brasileiro com mais títulos do torneio, sendo campeão em 2016, 2018 e 2019 – não houve disputa em 2017.

No tempo normal, o Boca abriu o placar com Rejala, após contra-ataque fulminante. O Magnus empatou com Marinho, após passe na segunda trave de Walex. O time argentino voltou a ficar à frente no placar após tentativa de corte de Kevin, que mandou a bola contra o próprio gol. O empate do Magnus veio com Leozinho, nos minutos finais da partida na base do goleiro-linha.

Nas penalidades máximas, brilhou a estrela do goleiro Lucas Oliveira, que defendeu a cobrança de Lucas Maina. O Magnus foi preciso nas suas cobranças, marcou com Rodrigo, Danilo Baron e Eder Lima e conquistou o terceiro título mundial consecutivo. Confira os gols AQUI.

O Magnus ficou em primeiro lugar no Grupo C da competição na primeira fase. O time do interior paulista O time do interior paulista derrotou na estreia o Mes Sungun Varzaghan, do Irã, por 3 a 1, e garantiu a vaga na semifinal ao vencer o ElPozo, da Espanha, por 3 a 2. Na semifinal, após empate por 1 a 1 no tempo normal, vitória sobre o Corinthians nos pênaltis. Na disputa do terceiro lugar, o Corinthians venceu o Barcelona por 4 a 2.

A Copa Intercontinental de Futsal, considerada o mundial do esporte, é disputada desde 1997, quando o Internacional conquistou a primeira edição do torneio. Ao todo, o título ficou com equipes brasileiras em nove oportunidades, enquanto os espanhóis levantaram o caneco seis vezes. Com cinco troféus, o Inter Movistar, da Espanha, é o maior campeão. Ao lado do Carlos Barbosa, o Magnus é o segundo maior vencedor do torneio com três troféus.

O jogo

Priorizando a marcação e dificultando o jogo do Magnus, o Boca Juniors não só se defendeu no primeiro tempo da decisão do título na Tailândia. Apesar de ficar mais tempo com a bola, o time brasileiro sofreu com as chances criadas pelo adversário.

Em um dos contra-ataques, o Boca Juniors abriu o placar com Rejala. Após troca de passes em velocidade, o jogador do time argentino aproveitou sobra e marcou.

A resposta do Magnus veio logo após o técnico adversário pedir tempo técnico. Walex disparou pela direita e bateu cruzado, em direção à segunda trave. Marinho, livre de marcação, empatou o confronto.

Apesar da forte marcação, o Boca Juniors assustava no contra-ataque. E foi em uma tentativa que o time argentino ficou à frente no placar novamente. Após chute cruzado, Kevin tentou impedir que a bola chegasse no jogador do Boca e acabou tocando contra o próprio gol.

Na segunda etapa, o Boca manteve a estratégia de se defender e apostar no contra-ataque. Com muita dificuldade de criação, o Sorocaba ficou com a posse bola, mas sem efetividade. Nos minutos finais, o time brasileiro arriscou tudo com o goleiro-linha em busca do empate.

Rodando a bola, o Magnus levou três minutos para conseguir o empate. Leozinho recebeu passe no buraco da marcação do Boca Juniors e soltou a bomba para empatar e levar a partida para a prorrogação.

No tempo extra, os dois times pouco se arriscaram. O Magnus perdeu Leandro Lino lesionado e o Boca praticamente não pisou na quadra de ataque, segurando o empate e levando a partida para a decisão nos pênaltis.

Nas penalidades máximas, brilhou a estrela do goleiro Lucas Oliveira, que defendeu a cobrança de Lucas Maina. O Magnus foi preciso nas suas cobranças, marcou com Rodrigo, Danilo Baron e Eder Lima, conquistando o terceiro título mundial consecutivo.