Tiago não quer ser mal compreendido, e avisa antes para evitar a indelicadeza, “espero que não me entenda mal”, mas “minha motivação é o presente, o passado foi glorioso, foi muito legal, ficou na história e me trouxe até aqui”. “Agora, eu tenho que provar jogo a jogo o que sou capaz de fazer”, completa. É essa a postura do goleiro do Magnus, à beira de mais uma decisão, desta vez contra a Intelli, para saber quem vai às semifinais da LNF2016.

Yuri Gomes

Tiago fez excelente partida contra o Jaraguá nas oitavas

A linha de pensamento que apresenta o pentacampeão da Liga Nacional de Futsal e bicampeão do mundo pela seleção brasileira é simples, mas longe de ser simplista. “Conforme os anos passam você já tem experiência de várias situações, então a cabeça acompanha”, avalia. Ele mantém, contudo, contato com dois psicólogos, ambos profissionais “essenciais”, segundo ele, para se aproximar do equilíbrio do físico e mental. “Quando a cabeça não quer mais saber de bola, eles estão ali para dar apoio”, confessa.

Por disputar a Liga Nacional de Futsal desde 1999, Tiago alerta, com a bagagem de outras 17 ligas, que “se você está preparado para as situações que podem acontecer, elas ficam bem mais fáceis”. Ainda que o esperado seja uma “dificuldade absurda” em São Sebastião do Paraíso, local da partida de volta entre as equipes, para o camisa número 2, “se estivermos esperando um nível de dificuldade alto, nada vai nos surpreender na partida”. “Talvez esse seja um dos segredos para tentar vencer a Intelli”, completa.

Abaixo, trechos da conversa com o goleiro:

Magnus x Intelli

“Fizemos uma partida quase impecável e transformamos isso em número de gols. Ao mesmo tempo, não pode se emocionar muito, porque do outro lado está a Intelli. A partida de volta pode ser totalmente diferente e com um nível de dificuldade muito maior. Então vamos tentar segurar a qualidade deles no tempo normal, como fizemos aqui em Sorocaba, para ficar com a classificação”.

Yuri Gomes

Pixote, Rodrigo (2x) e Ricardinho marcaram pelo Magnus

1ª fase abaixo?

“Credito a qualidade das outras equipes (a posição do Magnus na classificação). A gente nunca entrou em quadra pensando em perder. Do outro lado tem pessoas, profissionais, que trabalham tanto ou mais que a gente. É muito fácil olhar os nossos problemas e não olhar a qualidade dos outros. Tivemos nossos problemas sim, mas dou crédito às equipes que nos enfrentaram”.

Ano ocupado

“Tenho a confiança das comissões técnicas e eles me ajudaram, fazendo uma programação especial, me tirando de alguns treinos e fazendo parte física, recuperação, musculação, e isso me deu uma base boa para suportar bem estes jogos. Tanto que este ano passei sem lesão nenhuma e jogando a grande maioria dos jogos. Isso se deve a confiança das comissões, que eu conquistei, e ao planejamento que foi feito pensando nessa quantidade de jogos que teve este ano”.

Rótulos

“Esse negócio de idade é muito subjetivo. As pessoas tentam botar na sua cabeça, as pessoas colocam o rótulo, de jogador mais velho – dizem experiente, para não chamar de velho – mas eu não caio nestes rótulos não, minha resposta é dentro da quadra, e não é nem para os outros, é para mim mesmo. Tentando ser sempre melhor no próximo jogo”.

Quartas de final – Ida

Maguns 4×1 Intelli – Para ver os gols CLIQUE AQUI.

Jogo de Volta

05/11 SÁB | 17:00 | #INTxMAG | São Sebastião do Paraíso/MG