O Cresol/Marreco Futsal está a um empate do título da Série Ouro do Campeonato Paranaense. O Pato Futsal precisa da vitória no tempo normal e também depende de êxito nos pênaltis, mas tem o fator de jogar diante de sua torcida, no Ginásio Dolivar Lavarda, em Pato Branco. O segundo jogo da final acontece hoje, às 19h05, com transmissão ao vivo do SporTV.

No primeiro jogo o Marreco venceu por 4 a 1 no Ginásio Arrudão. O pivô Sinoê, artilheiro do time beltronense com 18 gols, diz que está otimista para essa decisão. “Eu confio muito na minha equipe. Não quero desmerecer o adversário, que tem muita qualidade. Mas eu acredito que a gente pode conquistar esse título tão sonhado por nossa torcida”, comenta o atleta, que diz não ter medo de pressão da torcida: “Eu já joguei em muito ginásio com pressão na minha carreira e não tenho medo disso. Nossa equipe está muito calejada, não vamos sofrer essa interferência. Neste ano, já superamos torcida, arbitragem, adversário mais forte, enfim, estamos muito unidos pelos nossos objetivos”.

José Delmo Menezes Junior

Marreco venceu o Pato no primeiro jogo das finais

Desfalques

O fixo Renan Fuzo está de férias, pois levou o terceiro cartão amarelo no primeiro jogo da final e está suspenso. Outro que está na mesma situação é o ala Rodriguinho, do Pato, que foi expulso em Francisco Beltrão. Mas o técnico Sérgio Lacerda contará com a volta de Robério, que estava suspenso. O ala Alisson Feroz, que também volta de suspensão, é dúvida por causa de uma lesão. O departamento médico do Marreco está bastante movimentado: Guina não joga mais no ano, Emerson dificilmente vai para a partida, Sol Sales vai pro sacrifício e Pedro Rei, com dores do adutor, é o que menos preocupa, mas não está 100%.

“O desgaste da temporada foi muito grande. É normal isso nessa época do ano. Mas essa semana foi mais de descanso e recuperação do que de treino. Fizemos alguns trabalhos específicos para marcação do adversário, mas o objetivo era tentar recuperar o máximo de jogadores para a última partida do ano”, comenta Pedro Rei.

Despedida

Para o pivô Sinoê, esse é um momento de alegria e de tristeza na equipe, pois vai ser o último jogo junto com essa equipe. “A maioria dos atletas vai ficar pro ano que vem, mas tem aqueles que vão pra outros clubes, aqueles que não têm clube ainda, enfim, é um momento em que precisamos estar unidos”, avalia.

Taça Brasil

Quem ficar com o título vai representar o Paraná na Taça Brasil de 2018, que pode acontecer em Marechal Cândido Rondon, no mês de junho. Quem vence a Taça Brasil, vai para a Supercopa, que reúne também o campeão da Liga Nacional, da Copa do Brasil e o clube sede. Quem for campeão da Supercopa, vai representar o Brasil na Libertadores da América. Esse é o caminho natural de um clube para disputar o Mundial de Clubes, é preciso conquistar a América primeiro.