Savio James

O clube apostou bastante em jovens em 2020.

O ano de 2020 foi de reestruturação fora das quatro linhas para o Marreco Futsal. Por conta das dívidas de anos anteriores, teve momentos em que o clube de Francisco Beltrão chegou a pensar em fechar as portas. Só que o que foi para muitos clubes a fonte de ainda mais dívidas, foi um tempo para reorganizar o Marreco Futsal, que aproveitou o período longe das quadras durante a pandemia para efetivar o organograma da diretoria, realinhar os ativos e passivos e planejar os próximos anos de forma sustentável. Em 2020, o Marreco teve uma de suas melhores folhas de pagamento desde que entrou na Liga Nacional, em 2016. O clube apostou em jovens talentosos, que mostraram muita dedicação dentro de quadra, caindo nas graças da torcida, que continuou acompanhando a equipe pelas transmissões ao vivo e pelas redes sociais.

“Nós conseguimos um fôlego para planejar o clube. Com a correria dos jogos e das viagens, não sobrava tempo para fazer isso. A gente acabava executando tarefa apenas, não sobrava tempo para o planejamento, que é a base de tudo. Agora estamos preparados para os próximos anos de forma sustentável, tanto que vamos conseguir investir um pouco mais na equipe em 2021”, comenta o presidente do Marreco Futsal, Ivo Dolinski.

Além de zerar as ações trabalhistas, o Marreco conseguiu pagar mais de R$ 400 mil em dívidas. De quebra, ainda pagou seus salários rigorosamente em dia, coisa que não conseguia praticar nos últimos dois anos. “A gente sabe que o salário e as condições de trabalho são o mínimo que o clube precisa fazer, até mesmo para poder exigir mais do atleta em quadra. Mas estávamos em uma situação complicada, não conseguia dar a volta em tudo. E com o apoio dos patrocinadores e dos torcedores, realizamos muitas promoções em 2020 de forma virtual e conseguimos organizar a casa”, complementa o presidente.

Dentro de quadra, o Marreco teve um de seus piores desempenhos da história, nem classificou para o mata-mata da Liga Nacional, caiu nas quartas de final da Série Ouro do Paranaense e da Liga Paraná. Só que mesmo assim a diretoria renovou com boa parte da equipe e com a comissão técnica, por acreditar que com tudo em ordem fora das quadras, os resultados vão começar a aparecer dentro das quatro linhas. “Nós precisamos dar suporte aos atletas, para que eles fiquem pensando apenas no jogo, se concentrando nos seus objetivos. Dessa forma, vamos conseguir dar ao torcedor o que ele merece, que é um time sustentável e que brigue ainda mais por títulos. Demos um passo atrás para dar três passos à frente”, afirma Ivo Dolinski.