Depois de três jogos em menos de uma semana pela Liga Gaúcha, a Assoeva/Unisc/ALM, ao invés de curtir o bom momento, busca sim é manter a boa fase. Para isso é necessário concentrar forças porque no sábado, 22, no Poliesportivo, tem outro grande jogo pela frente. Pela Liga Futsal, o compromisso das 20h15min será contra o Corinthians. Será a reprise da semifinal da competição nacional de 2016.

Divulgação Assoeva

Time vem de uma série de três vitórias pela Liga Gaúcha

“Pra nós no sábado é confronto direto em termos de pontuação necessária pra estarmos entre os quatro primeiros da Liga Nacional. O G4 é um dos objetivos da gente nesta fase inicial e vamos em busca disso. A aposta é pelo fator local para conquistarmos um bom resultado”, disse o técnico Fernando Malafaia após a vitória de 4 a 3 diante da ACBF, em Carlos Barbosa, na terça-feira à noite.

Na fase atual e diante dos dez jogos sem perder, a Assoeva teve quatro compromissos pela competição nacional. Na condição de mandante venceu duas vezes. “A meta é justamente manter essa boa sequência. Assoeva e Corinthians duelaram pela semifinal em 2016. É bom demais agora poder participar desse reencontro. É jogo direto pela G4”, destaca o goleiro André Deko, da Assoeva, que contra a ACBF mais uma vez fechou o gol.

Hoje a reapresentação do grupo será pela manhã com atividades na academia. À tarde, a exemplo da sexta-feira, em dois turnos, os trabalhos serão orientados por Malafaia. Contra o Corinthians, a Assoeva não terá Zico e Caio Júnior que cumprem suspensão. Dilvo, recuperado, fica à disposição da comissão técnica.

BATE BATE INFLÁVEL

Em nome da Torcida Febre Amarela e com o aval da diretoria da Assoeva/Unisc/ALM, Marcelo Colombo está liderando uma campanha para a confecção do bate bate inflável. “Pra começo de conversa, cada par terá que ser verde e amarelo. Não podemos fugir das cores originais da nossa equipe”, disse o idealizador que em 2016 liderou com pleno êxito a campanha do mascote Febrito.

A exemplo do próprio bonecoo, o bate bate inflável será utilizado somente em jogos de maior expressão no Poliesportivo. “É um objeto que o torcedor pode utilizar para ter uma participação mais incisiva no jogo. O barulho é ensurdecedor. Necessitamos dar uma ‘mexida’ com quem vai nos jogos. Não basta apenas sentar na arquibancada e simplesmente olhar a atuação do time. A Assoeva está em grande fase e agora temos que dar o nosso apoio. Todos gostariam de ter no Poliesportivo uma torcida mais participativa. Por isso a nossa intenção da confecção do material”, completa Colombo.

Cada unidade tem o valor de R$ 2,70.

A ideia apresentada por Marcelo Colombo foi lançada ontem. “Enviei a proposta para algumas empresas. Agora não tenho um número ‘x’ de quantos bastões poderiam ser confeccionados. É aguardar pelo retorno. Vontade temos de pôr em prática esse projeto. Agora é aguardar pra ver se sai do papel”, completa.

Contatos com o idealizador podem ser feitos pelo telefone 9 8040-1977 ou então pelo e-mail m.colombo@hotmail.com.