Em todos os anos, a LNF entrega o Troféu Fair Play à equipe que melhor aplica o “jogo limpo”, promovido pela FIFA. A taça leva o nome de José Carlos dos Santos, em homenagem ao “Zé”, funcionário antigo e que fez parte de toda a evolução do futsal e da Liga. No ano de 2020, o Brasília levou para a capital federal a honraria.

Marcelo Laitano

O Brasília foi a equipe mais disciplinada da LNF em 2020

Estreante na competição, o time do distrito federal encontrou dificuldades além das quais todas as equipes enfrentaram, justamente pela falta de experiência do elenco. Na colocação geral da LNF 2020, acabou na última posição com apenas uma vitória em 12 jogos. Nada, no entanto, tira a satisfação pelo reconhecimento de uma outra faceta revelada durante a disputa das partidas em quadra.

“Muito importante para nós, no nosso primeiro ano de LNF. Sabíamos que seria um ano bem complicado e tivemos duas pré-temporadas com a pandemia no meio. Infelizmente não tivemos uma posição melhor na tabela, mas fomos reconhecidos como uma equipe que joga limpo e que faz poucas faltas. Sempre prezamos pelo tipo de jogo que rouba a bola sem falta e sai rápido para o contra-ataque” explica o supervisor Marcelo Laitano.

No total, o Brasília somou 6,5 faltas por jogo, 12 cartões amarelos e apenas um vermelho durante a disputa da primeira fase, pois não conseguiu classificação para os Playoffs. A pontuação baixa do ponto de vista disciplinar, porém, colocou o time no topo da tabela na disputa pelo prêmio de Fair Play.

“Nossa filosofia é essa, com jogadores novos e com muito a aprender. Ficamos muito felizes. A FIFA, há muito tempo, vem promovendo o jogo limpo sem faltas violentas e cartões para parar a partida como tática e etc. O Brasília continuará promovendo o jogo limpo, corrido e ficamos honrados com esse reconhecimento de jogar com a bola no pé”, completa Laitano.