Agência Corinthians

Inteligência emocional e o preparo psicológico foram temas do encontro

Nesta sexta-feira (10), a equipe de futsal do Corinthians recebeu a psicóloga e coach esportiva Lais Yuri, que realizou seminário e bate papo com atletas e comissão técnica sobre a relevância da inteligência emocional fora das quadras e o impacto de um bom preparo psicológico dentro do jogo.

Há 12 anos trabalhando com psicologia esportiva, Lais é professora na pós graduação da Estácio de Sá, coordenadora do departamento de psicologia do Ituano FC e possui experiências em equipes de alta performance em diversas modalidades como Vôlei Banespa, Instituto Tênis, A.A. Ponte Preta, entre outros.

“Eu sempre gostei de acompanhar esporte, da competição. Tenho em mim características competitivas, mas o ponto principal é porque a psicologia esportiva trabalha com desenvolvimento de competências para o sucesso, metas, objetivos, sonhos. Foi o que me levou para a psicologia do esporte de alto rendimento”, conta Lais.

Apesar de ser fundamental para o bom desempenho em qualquer atividade, a inteligência emocional e o preparo psicológico são usualmente estigmatizados pela sociedade, que banaliza e até mesmo menospreza o trabalho de quem é da área e, também, das pessoas que buscam estes profissionais.

“A saúde mental ainda é um tabu não só no esporte. A pessoa que tem depressão, ou algum transtorno de ansiedade, é estigmatizada, tem dificuldades em se inserir no grupo, trocar de clube…. Eu comecei o seminário falando que psicólogo não é para louco porque essa é a ideia das pessoas, que psicólogo é para problemático. A sociedade tem esse preconceito então dentro do esporte também tem”, esclarece.

Sobre recomendações para cuidados básicos de saúde mental, principalmente dentro do contexto da pandemia, Lais começa dizendo que o primeiro passo é se conhecer. Saber como você funciona, quais características possui e viver o presente.

“Num momento como este não pensar toda hora no passado ou no futuro… Vai acontecer, mas não podemos deixar virar uma bola de neve. Organizar bem nossas atividades diárias elimina grande parte do stress, ter atividades de lazer, de descanso da mente, estar próximo de amigos e familiares traz uma melhora emocional”.

Sobre a atenção dos clubes para o acompanhamento psicológico, Lais diz que “tem melhorado, pensando no passado e comparando com hoje. Mas falta os clubes entenderem que o psicólogo é um funcionário diário, integrante de apoio à comissão técnica. Esse trabalho existe e deve estar em todas as instituições esportivas”.

Opinião dos atletas

Deives, pivô do futsal corinthiano, compartilhou algumas experiências de sua carreira durante o seminário, principalmente sobre cobrança de pênaltis. Ele acredita “muito no trabalho psicológico e mental para atletas de alto rendimento. Esse é um pilar fundamental e pouco explorado nas equipes. Fiquei muito feliz com o contato da Laís e espero que nos ajude nesse retorno que teremos em breve”.

O goleiro Tiago completou que “essa dinâmica com a psicóloga foi muito importante nesse momento de pandemia pra gente cuidar da nossa mente e nos concentrar em coisas positivas, coisas que vão nos ajudar a voltar num nível, tanto de trabalho, quanto técnico, quanto psicológico, da melhor maneira possível”.