Um lance de pura genialidade do craque Falcão deu ao Brasil o título do Grand Prix de Futsal 2011, em Manaus. Após um truncado empate em 1 a 1 no tempo normal da decisão, brasileiros e russos não achavam o gol na prorrogação, quando o camisa 12 recebeu lançamento de Neto e, de peito, surpreendeu o goleiro adversário, mandando a bola no fundo do barbante. Festa da torcida na Arena Amadeu Teixeira e desabafo de Falcão por conta dos longos muitos minutos que passou na reserva da seleção brasileira naquela final.

O duelo disputado no dia 23 de outubro de 2011 é o sexto episódio do Especial SporTV Futsal. A partida será reexibida neste sábado, às 12h, no SporTV.

– O meu brilho ninguém tira. A minha estrela ninguém apaga – disse o camisa 12 em frente às câmeras logo depois de marcar o gol.

– A confiança, para o bom e para o ruim, tem que ser para todos e não direcionada: se você errar, você está descartado. Mas é como eu falei: a resposta mais gostosa que tem é dentro de quadra – completou o craque após o apito final.

Foto Cristiano Borges CBFSFalcão na inesquecível final contra a Rússia

Alvo das reclamações do maior jogador de futsal de todos os tempos, o técnico Marcos Sorato, também falou após o fim do jogo.

– Isso é normal. Ele tem que querer jogar sempre, quem decide sou eu. Ele entrou na hora certa e fez o gol – comentou o treinador.

Segundo Falcão e Sorato foi apenas momento de jogo. Os dois são amigos e foram campeões mundiais no ano seguinte na Tailândia.

Falcão fala sobre o que aconteceu na final contra a Rússia. Clique  AQUI

Sorato fala sobre o que aconteceu na final contra a Rússia. Clique AQUI

Campanha arrasadora

Vice-campeão do Grand Prix diante da Espanha no ano anterior, o Brasil começou a edição 2011 da competição goleando Guatemala (5 a 0), Angola (10 a 1) e Holanda (5 a 2). Nas quartas de final, atuação que beirou a perfeição nos impiedosos 12 a 0 sobre o Uruguai. Na semifinal, vitória por 4 a 1 diante do temido Irã.

Restava a Rússia, que contava com três brasileiros naturalizados em seu elenco – o goleiro Gustavo, o ala Pula e o pivô Cirilo. O Brasil começou a final pressionando, com vários chutes a gol. Mas a falta de pontaria e as boas defesas de Gustavo impediam que a seleção abrisse o placar. Aos cinco minutos, Rodrigo soltou uma bomba que passou rente à trave esquerda da Rússia.

Foto Zerora Filho CBFS

Seleção perfilada antes da final do Grand Prix de Futsal 2011

No meio do primeiro tempo, a Rússia passou a gostar do jogo, apertando a marcação para jogar no contra-ataque. Aos 11 minutos, Abramov abriu o placar após escorar o chute cruzado de Dushkevich. O técnico brasileiro pediu tempo e orientou os jogadores a tocarem mais bola, em vez de arriscar o chute de longe.

Quatro minutos depois, Valdin soltou uma bomba na trave e os russos responderam com um chute defendido pro Tiago. O jogo ficou corrido, com as duas equipes atacando. Aos 17 minutos, Vinicius chutou forte, mas a bola foi na rede pelo lado de fora, dando a ilusão de gol para o público na Arena.

 

Valdin empata

No segundo tempo, o Brasil voltou pressionando com a Rússia apostando nos contra-ataques. Aos quatro minutos, Neto mandou uma bomba, mas Gustavo defendeu. Na cobrança de escanteio, o defensor brasileiro, sozinho, cabeceou para fora.

O gol estava amadurecendo e, aos cinco minutos, Valdin finalmente igualou o marcador, ao receber lançamento na frente e tocar com categoria na saída de Gustavo. Aos oito, o Brasil por pouco não virou com um chute de Jackson Samurai, em cobrança de falta ensaiada. A bola passou rente ao travessão. Dois minutos depois, foi a vez de Gadeia finalizar na entrada da área russa, mas Gustavo tirou com o pé.

Valdin recorda decisão do Grand Prix de 2011 de futsal. Clique AQUI.

Foto Cristiano Borges CBFS

Valdin, que vivia ótimo momento, igualou para o Brasil

Depois de 10 minutos sofrendo pressão, a Rússia voltou a assustar com Badretdinov. Aos 12, o jogador tocou rente ao poste direito do goleiro Tiago. A dois minutos do fim, Jackson penetrou na defesa adversária, limpou um marcador, mas chutou fraco, para a defesa de Gustavo. Na jogada seguinte, foi a vez dos russos quase marcarem, em finalização de Cirilo, que tocou no braço de Neto, mas o juiz não marcou pênalti.

 

Torcida pede, e Falcão entra

Logo aos 30 segundos da prorrogação, Vinicius fez boa jogada pela direita e chutou cruzado, mas Fernandinho não alcançou. Um minuto depois, foi a vez de Valdin arrancar com a bola e finalizar sozinho, para mais uma grande intervenção de Gustavo. Atendendo aos pedidos da torcida, o técnico Marcos Sorato colocou Falcão em campo. O Brasil pressionou no fim do primeiro tempo da prorrogação, mas o goleiro da Rússia não deixou nada passar.

Vinicius relembra final do Grand Prix 2011 de futsal entre Brasil e Rússia. Veja AQUI.

Foto Luis Domingues CBFS

Marcos Sorato, o técnico do Brasil em 2011

Até que veio o lance que decidiu o título. Após lançamento longo e a meia altura de Neto, Falcão finalizou com o peito, surpreendendo Gustavo, que ficou sem reação, vendo a bola entrar no seu canto esquerdo. No desespero, a Rússia ainda tentou sair toda ao ataque nos minutos finais, mas o Brasil trancou-se atrás garantindo o caneco em Manaus.