O Marreco foi campeão da Série Prata do Paranaense em 2008. Naquela temporada, um dos grandes destaques da equipe era o jovem Everton Cardoso, que na época era chamado de Galizé. Mais tarde, quando foi jogar no Atlântico, de Erechim, seu apelido mudou para “Gallo”, por causa do mascote do clube gaúcho. E foi pelo Atlântico que o jogador chegou à sua primeira convocação para a Seleção Brasileira. Depois de passar pelo Jaraguá, Gallo foi para o Araz, do Azerbaijão, e se naturalizou, passando a atuar na seleção do país, inclusive na Copa do Mundo.

Hoje Gallo está no Levante da Espanha e mora em Valência. Em contato com o JdeB, ele contou um pouco sobre como está a situação do coronavírus:

“Chegou até nós o comentário de que havia alguns casos em Madrid, mas muitos acharam que não chegaria até nós. Mas quando o vírus veio, a Liga cancelou os jogos e o clube cancelou os treinamentos. Eu sigo trabalhando em casa, o clube nos acompanha online. Também temos um contato online com o nosso nutricionista e o nosso psicólogo, que acompanha essa parte emocional nesses momentos de confinamento. O clube está sendo muito responsável conosco, estão tentando nos atender da melhor forma possível.”

Gallo diz que a situação é preocupante no país: “Aqui chegou a um pico de morrer quase 900 pessoas em 24 horas por causa do coronavírus. Acho que no começo as ações poderiam ser mais rápidas, isso ajudaria mais. Por outro lado, quando foi pedido pro pessoal ficar em casa, todos compreenderam. Agora está diminuindo bastante os casos. O que tenho a falar pro pessoal no Brasil é que tomem os cuidados necessários, pois é possível que não chegue a uma situação como essa.”

Foto divulgação

Gallo foi campeão da série prata com o Marreco em 2008 e hoje atua na Espanha