Apesar de encontrar parceiros “calejados” para encarar pela primeira vez a Liga Nacional de Futsal (LNF), ao fechar acordo com o antigo São Carlos (que já foi Paraíso e também Orlândia), viver tal novidade trará uma rotina muito diferente, e mais exigente em vários aspectos, para alguns dirigentes e atletas do Dracena.

Neste ano, o grupo formado atualmente por 16 atletas e treinado por Bruno Silva se prepara para percorrer uma distância de quase 17 mil quilômetros (somatória das idas e voltas das viagens), visitando seis estados, localizados em três regiões do país. Toda essa logística ocorrerá durante as 10 partidas que o Dracena fará fora de casa na primeira fase da LNF. A distância total estimada é suficiente para completar uma viagem de ida e volta até Barcelona, na Espanha.

Carlos Volpi

Entre os dias 28 de fevereiro e 1º de março, Intelli participa de um torneio de pré-temporada

Entre os dias 28 de fevereiro e 1º de março, Dracena participa de um torneio de pré-temporada — Foto: Dracena Futsal/Divulgação

O trajeto mais longo a ser encarado pelo Dracena é até Carlos Barbosa, no Rio Grande do Sul, onde a equipe jogará contra a equipe da casa pela nona rodada. A cidade gaúcha está localizada a quase 1200km do Oeste Paulista. Já o percurso mais “amigo” é até a mineira Uberlândia, que fica a cerca de 540km de Dracena. Lá, os dracenenses irão enfrentar o Praia Clube, em jogo válido pela 15ª rodada.

E as longas distâncias são apenas mais um desafio que o fato de participar da LNF irá oferecer ao time do Oeste Paulista. Com mais uma competição no calendário, a atual temporada poderá ser marcada pela participação do Dracena em cinco competições: LNF, Liga Paulista de Futsal (LPF), Copa Paulista, Jogos Regionais e Jogos Abertos (caso a equipe consiga vencer os Regionais, como nos últimos anos).

– Não temos nada muito detalhado dentro desta projeção, vamos esperar as tabelas das competições do segundo semestre ainda, mas acredito que poderemos chegar a um número de entre 45, 50 jogos no total da temporada.

– É uma situação que já passei outras vezes, desde que cheguei ao time em 2004 (ainda Orlândia). Sabemos que é difícil, mas isso não é uma novidade para nós. Sabemos o quanto é importante trabalhar bem a parte física, semana após a semana, e ter um planejamento adequado – comentou Cidão, que veio do São Carlos como supervisor da nova parceria.

Carlos Volpi

Atualmente, técnico Bruno Silva conta com grupo de 16 atletas

Em relação ao número de atletas, Cidão disse que não há nenhuma perspectiva quanto à chegada de novos reforços, e a quantidade de jogadores do atual elenco está muito perto daquilo que é considerado ideal, dentro do planejamento para toda a temporada.