Roni Muller

Kelvin: “Dedicação máxima nos treinos é essencial por bons resultados mais à frente”.

Entre as contratações para a formação do plantel da Assoeva/Unisc/ALM para a temporada 2021, a direção, contando com o aval da comissão técnica, priorizou mesclar juventude e experiência. Entre as caras novas no Poliesportivo, a média de idade oscila. Se um bom time começa por um bom goleiro, a Assoeva tem motivos de sobra para projetar um bom ano. Tem o experiente Deividi, de longa data na Capital Nacional do Chimarrão. Uma das ‘sombras’ é uma jovem promessa do interior de São Paulo. Kelvin Oliveira de Siqueira já traz consigo uma certa experiência como jogar no Magnus onde integrou o elenco campeão da Liga Futsal em 2020.

Defender as categorias de base da Seleção Brasileira é algo que Kelvin também tem no seu currículo. Antes de chegar lá, o paulistano conta que logo aos cinco anos de idade já começou no futsal. “Minha mãe me levou nas escolinhas da minha cidade e desde que cheguei no ginásio e num primeiro contato com as demais presentes, caminhei para a posição de goleiro. Ali comecei a treinar e estou até hoje na posição”, relembra.
Com o passar dos anos veio a evolução constante na posição, tudo graças ao empenho e dedicação nos treinamentos. As oportunidades mediante esforço fizeram com que Kelvin chegasse a atuar no Lugo, da Espanha. “Foi uma oportunidade e tanto jogar no exterior”, relembra.

O salto maior veio em 2017 quando Kelvin voltou ao Brasil e visto com potencial de sobra, acabou sendo convocado pela primeira vez para a Seleção Brasileira. “Foi para integrar a Sub-20. Primeiro jogamos um amistoso que lembro que foi contra a Intelli, em Uberaba. Feito isso o grupo se manteve e em seguida embarcamos para a Colômbia. Lá jogamos um torneio Sul-Americano. Voltamos de lá campeões”, destaca o jogador.

Kelvin acrescenta que depois da primeira vieram mais convocações. “Fui convocado para o Sul-Americano Sub-20 no Peru. Lá também conquistamos o título. Teve o super clássico das Américas contra a Argentina, no Paraguai. Fui chamado também para o Sul-Americano no Rio de Janeiro. Estar entre os melhores é algo indescritível. Uma experiência que conta muito”, relata.

Ainda em 2017 quando chegou no Magnus, Kelvin lembra que trabalhou com goleiros de renome como Tiago, Luan, Lucas e o Caio. “Foram quatro anos trabalhando lá e um enorme aprendizado”, cita o atleta.

Nova realidade

O ex-jogador de futsal e hoje comentarista da TV NSports, Sandro Teixeira Falcetta, foi quem indicou Kelvin para o técnico Morruga. “As tratativas foram rápidas. Surgiu o convite, o acerto foi de imediato e cá estou. Para mim uma nova realidade. Futsal gaúcho tem grande destaque no cenário brasileiro. São poucos dias até agora da nova casa mas posso afirmar que a adaptação tem sido além das expectativas. O grupo foi muito receptivo comigo. A atenção é igual para todos. O trabalho desenvolvido vejo que aqui é levado a sério mesmo”, enfatiza.

“Para chegar e mostrar para que veio, a entrega tem que ser total nos treinos e jogos. Sé para entrar em quadra é para ganhar. Nem sempre é possível mas lá dentro tem que dar o máximo. Vencer, ser campeão, sempre será o topo a ser alcançado. Estou feliz aqui, Sigo trabalhando firme e forte e aguardando, como todos, o começo das competições. Enquanto isso, muita dedicação dos treinamentos.

O clube

Sobre a Assoeva Kelvin disse que sempre teve boas referências. “Lembro da boa campanha 2017 quando a Assoeva disputou o título nacional. Equipe chegou a eliminar o Magnus em uma fase anterior às finais num jogo sensacional em São Paulo com vira-vira no marcador. Vamos trabalhar este ano para conseguirmos realizar outra grande campanha”, completa o camisa 22.

Quem é

Kelvin Oliveira de Siqueira é natural da cidade de São Caetano do Sul, São Paulo. O atleta que tem 22 anos nasceu no dia 3 de maio de 1998. Kelvin tem passagens pelo Palmeiras, Lugo da Espanha, Magnus Futsal e Seleção Brasileira de Futsal Sub-20.