Guilherme Mansuetto

Leozinho, á direita, eleito este ano o melhor jogador jovem do mundo no prêmio Futsal Planet

O Magnus alcançou neste sábado sua sexta vitória seguida na Liga Nacional ao derrotar o Brasília em casa por 2 a 0. Além da ter liderança do Grupo A com 18 pontos e o melhor ataque da competição, outro ponto em destaque na equipe é a presença decisiva de jogadores vindos das categorias base do clube sorocabano. Dos 26 gols anotados pelo time do interior paulista, 14 foram marcados por atletas que fizeram parte do elenco Sub-20.

O projeto da categoria com jogadores de até 20 anos começou no ano de 2017. Naquela temporada, o time realizou uma peneira com mais de mil inscritos. Na ocasião, uma das vagas ficou com o ala Leozinho, eleito este ano o melhor jogador jovem do mundo no prêmio Futsal Planet, que tem chancela FIFA.

“É motivo de muito orgulho ver resultado vindo desses jogadores que nós garimpamos e trabalhamos desde 2017. Eles ainda estão em processo de maturação, têm muito o que melhorar e evoluir, mas o resultado em quadra é este que todos estão podendo ver. Nos cabe ajudar com a nossa experiência e contar também com o suporte de atletas mais velhos como Rodrigo, Leandro Lino, Charuto. Que isso sirva de exemplo para mais equipes, apostar na base e na busca de novos talentos para o futsal”, analisou o técnico Ricardinho.

Na temporada de estreia, o time ficou com o vice-campeonato no Campeonato Paulista e Metropolitano. No ano seguinte, ampliando ainda mais a estrutura para os jovens atletas, o clube fez uma campanha histórica. Ao todo foram disputados 37 jogos, conquistando 32 vitórias, 5 empates e nenhuma derrota, podendo celebrar os títulos da Copa São Paulo e do Campeonato Paulista, além de acabar com uma longa hegemonia do Corinthians.

Faziam parte daquele elenco os pivôs Israel e Alisson, o ala Ricardinho, o fixo Lucas Gomes e o goleiro Kelvin, que hoje integram a categoria principal do Magnus. Para esta temporada se juntaram a eles o ala Pedrinho e o goleiro Caio, que também faziam parte da base sorocabana e hoje estão no time principal.

“Hoje temos oito jogadores vindos da base. É uma forma de trabalhar que eu adoto desde a época da GM, Ulbra, Banespa. O time tem que fortalecer as categorias de base para elas servirem de sustentação para o elenco adulto. Não adianta só contratar, é fundamental também formar atletas. Além de tudo isso, o jogador vindo da base cria uma identificação com o clube e com o torcedor que também é muito importante nesse processo”, avaliou Reinaldo Simões, supervisor do Magnus Futsal.

Guilherme Mansuetto

Reinaldo Simões, supervisor do Magnus Futsal orgulhoso com os talentos revelados no Magnus

Na temporada passada, o Sub-20 deu mais um passo importante para o projeto. Pela primeira vez disputando uma competição com abrangência nacional, o time de Sorocaba conquistou o título da Taça Brasil da categoria. No segundo semestre, com o objetivo de dar suporte à equipe principal, como mencionado por Simões, conforme o time principal avançava no mata-mata da Liga Nacional, foram as jovens promessas que disputaram a Liga Paulista, alcançando inclusive a grande final e ficando com o vice-campeonato.

O calendário da temporada 2020 para a categoria juvenil foi prejudicada em razão da pandemia da COVID19, porém o Magnus já deu início ao planejamento do próximo ano.