Antes de entrar em quadra já é possível dizer que os dois fizerem história em 2020. Se de um lado o desempenho com 100% de aproveitamento do Magnus na primeira fase impressiona, do outro, o Tubarão faz sua melhor campanha na história da competição, que até então foi um quinto lugar. O primeiro finalista da 25° edição da LNF será conhecido a partir das 11h deste domingo. SporTV e TV Brasil transmite ao vivo o duelo para todo o país. Os paulistas jogam pelo empate após vitória no primeiro confronto em Carlos Barbosa.

Não bastasse a ausência de torcida — o que ocorreu com todos os times no campeonato — o aumento de casos de covid-19 no estado transferiu a partida de ida de Santa Catarina para o Rio Grande do Sul, jogando no ginásio da ACBF, e em menos de cinco minutos depois da largada do cronómetro, o placar estava 3 a 0 para os sorocabanos.

Guilherme Mansueto

Leandro Lino deixou o seu na partida de ida contra o Tubarão

“Entramos bem concentrados e entre aspas matamos o jogo no 3 a 0. Mantivemos a marcação. Não à toa, nossos outros gols saíram no contra-ataque”, recorda Leandro Lino, um dos seis a marcar na partida, uma prova do poderio ofensivo paulista. Lino é quem mais chutou a gol na Liga, 44 vezes, líder em assistências, com oito, além de fazer parte do melhor ataque, com 69 gols até agora.

Os catarinenses, para levar o jogo ao tempo extra, terão que vencer nos 40 minutos, algo que nenhuma equipe conseguiu na competição. Ao contrário, o Magnus é o melhor mandante, venceu todos os adversários na primeira fase e nos Playoffs. O time do Sul ganhou apenas duas de oito partidas fora de casa.

João Duarte

Pakito é um dos mais experientes da equipe do Tubarão

“Contra uma equipe com a qualidade do Magnus não pode dar oportunidades. Agora é fundamental acertar o que temos que acertar”, pondera Pakito, ala do Tubarão. A favor do Tubarão está o regulamento, que não prevê saldo de gols. Uma vitória simples empurra a decisão para a prorrogação, permanecendo, no entanto, a necessidade de carimbar nova vitória, pois a liderança na chave C com 24 pontos foi inferior aos 36 do Magnus na primeira fase.

“A concentração tem de ser máxima. Temos mais uma oportunidade. Assim como eles nos venceram lá, podemos vencer agora. Esperamos estar em um dia bom”, conclui Pakito. Por outro lado, os paulistas querem também deixar de lado o que foi feito no jogo de ida. “Sabemos da vantagem construída, mas não podemos “sentar” em cima dela. Queremos chegar novamente na final da LNF”, encerra Leandro Lino.