Depois de muita espera, o Marreco Futsal já sabe onde vai mandar seus jogos na temporada 2020, seja na Liga Nacional de Futsal (LNF), Liga Futsal Paraná (LFP) ou Série Ouro do Paranaense. O time de Francisco Beltrão ganhou a licitação (com um CNPJ parceiro) para explorar as lanchonetes dos ginásios Arrudão, no Bairro Presidente Kennedy, e Sarará, na Cidade Norte. A licitação aconteceu ontem pela manhã e nove empresas participaram. Também estão definidas as empresas que vão administrar as lanchonetes dos ginásios Flávio Morcelli (Bairro São Miguel), Jayr de Freitas (Bairro Cango), João Cantu (São Cristóvão) e Cristo Rei (Bairro Cristo Rei).

“Vamos jogar no Ginásio Arrudão, que já está com a aprovação de vistoria nas competições que vamos disputar. O próximo passo agora é divulgar os planos de sócio-torcedor e iniciar a pré-temporada no dia 10 de fevereiro”, comentou Ademilson Arandt, o Misso, diretor do Marreco com experiência no setor alimentício, pois é proprietário da Lanchonete Daran, na Cidade Norte, e irmão de Ademir Arandt, o Nuk, proprietário do Sobá Choperia.

Adolfo Pegoraro

O ganhador da licitação da lanchonete do Sarará, na Cidade Norte, é a mesma empresa que pegou o Arrudão

Valores dos ginásios

Para o Ginásio Arrudão, a proposta vencedora foi de Eliane Vicelli Dutra ME, com R$ 120.013,83. A mesma empresa, que é parceira do Marreco Futsal, foi a vencedora para explorar a cantina do Ginásio Sarará, na Cidade Norte, com R$ 36.013,11. No Ginásio Flavio Morcelli, no Bairro São Miguel, a empresa ganhadora foi a AXR Comércio de Alimentos Ltda., com o valor de R$ 16.999,99. No Ginásio João Cantu, no Bairro São Cristóvão, o ganhador da licitação foi Paulo Sérgio Schmoller ME, com o valor anual de R$ 5.398, 67. A mesma empresa ganhou no Ginásio Jahyr de Freitas, na Cango, com o valor de R$ 15.801,00. No Ginásio Cristo Rei, o ganhador foi Carlos Restelatto, com o valor de R$ 6 mil.

Somando tudo, a Prefeitura de Francisco Beltrão vai arrecadar R$ 200.226,60. “Esse recurso é livre para o município, mas o município vai priorizar a aplicação no esporte, principalmente na manutenção das praças esportivas”, adiantou Antonio Bonetti, secretário de Administração de Francisco Beltrão.

 

Prazo para assumir

A partir da assinatura do contrato, as empresas têm prazo de 60 dias para iniciar o serviço nas praças esportivas. “A data de assinatura do contrato depende ainda de burocracia, mas não deve passar de dez dias. Depois, os atuais administradores serão comunicados oficialmente em relação aos prazos para que deixem as instalações”, complementa Bonetti, que considera positiva essa mudança. “É uma regularização de muitos anos, a legislação foi evoluindo e foi preciso fazer esse ajuste. O mesmo vamos fazer com a lanchonete da rodoviária, que terá a nova estrutura com o setor de alimentação nos mesmos moldes, com a permissão de uso onerosa”, disse o secretário.

 

Receitas e despesas

As empresas ganhadoras da licitação deverão arcar com as despesas de cada lanchonete, como água, luz e impostos. “Isso não acontecia até então, o município bancava tudo. Agora, cada lanchonete terá um medidor próprio para separar as despesas. Isso vai gerar uma grande economia para a administração municipal. Em compensação, as empresas poderão alugar o tempo para a prática esportiva, o valor ficou tabelado em R$ 50 para 60 minutos. Mas o município tem a preferência de uso de forma gratuita, desde que comunicado com antecedência”, afirmou Bonetti.

Segundo ele, as empresas vencedoras também são responsáveis pela limpeza das praças esportivas e alguns pequenos reparos. “Tudo isso vai garantir a longevidade do processo. Agora, não existe mais aquele apadrinhamento das lanchonetes, tudo precisa ser transparente, por meio de licitação. Mas antigamente ninguém fazia isso, por isso estamos regularizando.”