FPF

Fixo de Portugal sabe da responsabilidade para próximos jogos

A Seleção Nacional de futsal de Portugal prossegue esta terça-feira com os trabalhos de preparação tendo em vista os derradeiros jogos de qualificação para o Campeonato da Europa Países Baixos 2022.

A Equipe das Quinas lidera o Grupo 8, com oito pontos (mais um que República Theca e Polónia) e quer manter essa posição após os dois jogos diante da Noruega, agendados para os dias 12 e 14 de abril, no Pavilhão Municipal da Torre da Marinha. As partidas estão agendadas paras as 18h30 e 18h00, respetivamente, e podem ser acompanhadas e m direto no Canal 11.

Nilson não esteve presente nos jogos anteriores, mas acompanhou a companha lusa e agora regressa para a etapa final. Quer ver Portugal a mostrar uma equipa intensa e

“Vi os jogos todos. Não foram jogos fáceis. Já não existem equipas acessíveis. Todas as equipas são muito competitivas. O que temos de fazer é manter o plano de jogo, trabalhar bem, ser intensos e competitivos. Acho que desta forma o objetivo fica mais próximo. ”

Ainda antes do arranque da qualificação a Noruega solicitou que os seus jogos se realizassem no país do seu adversário, dadas às dificuldades de entrada na Noruega originada pela pandemia Covid-19. Nas duas primeiras rondas, a formação nórdica não conseguiu viajar à República Tcheca e viu ser-lhe aplicada pena de derrota, por 0-5, nas duas partidas. Nos embates em solo polaco, os noruegueses perderam as duas partidas. Apesar de o adversário não ter pontuado, O fixo adverte para a necessidade de não se cometerem erros e espera uma equipa forte fisicamente à espera do erro, à semelhança das seleções da Polónia e da República Tcheca.

“Espero uma equipe muito à sua imagem. Vão ser jogos iguais aos anteriores, de certeza. No mínimo erro vamos pagar ou eles vão pagar. ” Estas duas partidas serão disputadas na Torre da Marinha, mas jogar em solo sem público não dá mais força ao fator casa.

“Temos vantagem [de jogar em casa] quando temos adeptos. Eles fazem sempre falta, como é óbvio, mas, independentemente disso, vamos entrar para ganhar. Queremos ganhar e vamos ganhar”, afiançou.

Nilson regressou às escolhas de Jorge Braz e veio encontrar algumas caras novas na família da Seleção. A convocatória alargada de 18 jogadores, obrigará o técnico a escolher quatro jogadores para ficarem fora da ficha de jogo, mas Nilson garante que não é isso que vai acrescentar mais empenho.

“São todos bem-vindos. A família é extensa e isso é um sinal de que há muita qualidade na nossa Liga. Estamos a encarar bem [esta entrada de jovens jogadores]. Estamos 18 convocados e a responsabilidade é grande. Sabemos o que temos de fazer. Temos que ficar no primeiro lugar para alcançar o objetivo que queremos. Neste espaço, a competitividade está no sempre no máximo. Há gente que vai ficar de fora, mas faz parte. Ficando de fora ou lá dentro, o pessoal está aqui para ajudar. ”

Campeão da Europa em 2018, Nilson considera que é obrigatório para Portugal estar no Europeu. “Pela qualidade e pelo grupo que nós temos, temos a obrigatoriedade de estar nas fases decisivas.”