A seleção brasileira de futsal entra em quadra nesta sexta-feira para realizar o primeiro dos dois amistosos contra a Polônia em Uberaba (MG). A partida às 19h15 terá transmissão ao vivo do SporTV. O duelo é tratado como um importante teste visando o Mundial de 2020, uma vez que os poloneses disputaram a última Eurocopa (Uefa Euro Futsal), no início do ano, chegando inclusive a empatar em 1 a 1 com a poderosa Rússia na primeira fase. O técnico Marquinhos Xavier terá um desfalque e tanto para esta noite. Convocado para os amistosos, o craque Falcão foi cortado devido a uma lesão muscular sofrida na última semana em partida da LNF. A expectativa, porém, é de um bom jogo em Uberaba.

Ricardo Artifon

Marquinhos Xavier acredita em partida difícil nesta noite

– A função do Falcão, além de contribuir tecnicamente, era passar a vivência de seleção dele. Temos muitos atletas jovens aqui, que tiveram a primeira convocação comigo. Mesmo assim, a nossa expectativa é boa. A gente tem conseguido repetir parte das convocações e com isso conseguimos ganhar ao menos entendimento do jogo. E ganhamos um pouco de entrosamento, mesmo nos reunindo muito pouco. Estamos na expectativa de ter um bom volume de jogo, vamos enfrentar uma equipe que vem de um bom Campeonato Europeu. Esperamos um grau de dificuldade elevado, porque vamos enfrentar uma cultura de jogo diferente – afirmou Marquinhos.

Segundo o treinador brasileiro, encontros como o desta noite devem se repetir nos próximos meses. A meta da comissão técnica do Brasil é enfrentar o máximo possível de adversários da Europa e Ásia até o Mundial de 2020, que ainda não teve a sua sede definida. Para Marquinhos, o futsal brasileiro ficou muito acostumado a duelos sul-americanos nos últimos anos, o que contribuiu para que a seleção encontrasse muita dificuldades em partidas contra europeus e asiáticos.

– A seleção joga muito contra adversários sul-americanos. Queremos jogar mais com europeus e asiáticos, contra escolas que ofereçam um risco para trás. A expectativa é que passemos grandes dificuldades hoje e nessas próximas partidas. A escola sul-americana já está muito declarada. Sabemos o comportamento defensivo e ofensivo dos nossos rivais sul-americanos. O Brasil se acostumou muito a jogar contra essas equipes, o que gerou uma estabilidade de trabalho. O que a gente quer é sair dessa zona de conforto. Não adianta ranquear e aumentar estatísticas de vitórias. Temos que nos colocar mais à prova – comentou Marquinhos Xavier.

Ricardo Artifon

Técnico brasileiro espera enfrentar outros adversários europeus até 2020

Para os amistosos contra a Polônia, o treinador brasileiro não pôde convocar atletas que atuam fora do país por não se tratar de Data-Fifa. Com isso, a aposta fica em jovens como Leandro Lino, Marcel, Rocha, Douglas e Renatinho. Dentre os mais experientes, destaque para o goleiro Guitta e para o fixo Rodrigo, que busca consolidar-se cada vez mais na seleção para disputar o seu segundo Mundial.

– Os mais jovens como Marcel, Lino e Rocha vêm com tudo. Nós temos que passar experiência e tranquilidade, mas a molecada está acostumada a grandes jogos, mesmo porque a Liga Nacional tem jogos com essa pegada. Estou trabalhando muito para estar presente em 2020, quando estarei com 35 anos. Estou muito feliz de estar aqui, tenho contribuído com a minha liderança, e isso é fundamental num Mundial. Em 2012, por exemplo, o Vinicius e o Gabriel passaram muita tranquilidade ao elenco nas situações de aperto – disse Rodrigo, lembrando da conquista na Tailândia.

Após o duelo desta sexta, Brasil e Polônia se enfrentarão novamente no domingo, no mesmo Centro Olímpico de Uberaba, às 10h. A partida terá transmissão ao vivo da TV Globo dentro da programação do Esporte Espetacular.