A seleção brasileira de futsal segue dando show no Grand Prix Internacional, que está sendo realizado em Brusque (SC). Depois de estrear com uma goleada por 10 a 1 sobre o Uruguai, os comandados de Marquinhos Xavier derrotaram a Costa Rica por 6 a 1. Buscando a marca pessoal de 400 gols com a camisa do Brasil, Falcão deixou o seu e agora está a seis tentos do feito. Os demais gols brasileiros foram marcados por: Pito (dois), Daniel Japonês, Marcel e Ferrão. Paniagua descontou para a Costa Rica, que fazia a sua estreia no torneio.

Nesta quinta, o time canarinho encara a Bélgica, às 19h15, pela terceira rodada – o SporTV2 transmite. Antes, às 17h, jogam Uruguai x Costa Rica. Ao todo cinco equipes participam do Grand Prix. O campeão será conhecido no domingo.

Diferentemente da estreia contra o Uruguai, o Brasil encontrou dificuldades no início do jogo. Contudo, na primeira vez que furou o bloqueio defensivo costarriquenho, Jackson Samurai serviu Daniel Japonês, que bateu à meia altura para abrir o placar aos seis minutos. Aos sete, Jackson arriscou da intermediária, e a bola passou rente ao travessão de Santamaría. Um minuto depois, Marquinhos Xavier colocou Falcão em quadra pela primeira vez, levando a torcida catarinense ao delírio.

Ricardo Artifon

Marcel marcou o terceiro do Brasil

Aos dez, Gadeia teve boa chance em jogada de escanteio. A finalização do jogador do Inter Movistar passou rente à trave. No lance seguinte, porém, Bruno puxou contra-ataque, e a bola sobrou limpa para Pito, que fez 2 a 0. Aos poucos, a partida foi ganhando um ritmo mais cadenciado. Aos 17, Dieguinho avançou em velocidade e finalizou com perigo. No minuto seguinte, Marcel viu Santamaría adiantado e bateu da quadra de defesa para estufar a rede: 3 a 0, placar da etapa.

A Costa Rica voltou para o segundo tempo com uma postura um pouco mais ofensiva. Aos dois minutos, Cabalceta colocou Guitta para trabalhar após chute de média distância. O Brasil só foi levar perigo aos cinco, quando Dieguinho concluiu da entrada da área, e o goleiro Vargas – que entrou no intervalo – foi buscar. Aos sete, enfim, saiu o quarto gol brasileiro. Após receber de Léo Santana, Pito ajeitou a bola e mandou uma bomba, marcando o seu segundo gol na partida.

Aos dez, a torcida de Brusque conseguiu assistir ao que tanto esperava. Após dominar no ataque, Falcão deu um drible curto em Vargas e mandou a bola no fundo do barbante. Era o gol 394 do camisa 12 pela seleção brasileira. A Costa Rica mal teve tempo de respirar. Logo após a saída, Léo Santana serviu Ferrão, que marcou o sexto. Restando sete minutos para o fim, Paniagua marcou o gol de honra dos costarriquenhos.

A seleção brasileira não desanimou e seguiu criando chances. Aos 14, Falcão acertou o travessão. Pouco depois foi a vez de Marcel assustar a defesa adversária. Sem mais expectativas no jogo, a Costa Rica se trancou atrás nos minutos finais para evitar um placar maior. A estratégia deu certo, e o resultado de 6 a 1 foi mantido até o apito final.

Brasil: Guitta, Rodrigo, Daniel Japonês, Jackson Samurai e Ferrão. Entraram: Bruno, Leandro Lino, Léo Santana, Pito, Marcel, Falcão, Gadeia e Dieguinho. Técnico: Marquinhos Xavier.

Costa Rica: Santamaría, Cubillo, Tijerino, Sandi e Paniagua. Entraram: Vargas, Daniel Gomez, José Pablo Castro, Salas, Fonseca, Cordero, Cabalceta, Villalobos e Solis. Técnico: Esteban Jimenez.