O Brasil esteve longe de encontrar a facilidade do último domingo, quando aplicou um contundente 4 a 0 sobre a seleção da Catalunha. Nesta terça, os comandados de PC Oliveira até abriram quatro gols, mas levaram dois e sofreram pressão até o fim. A vitória por 4 a 2 coroa a boa semana de trabalho em Barcelona. Marcaram para o Brasil: Ferrão, Matheus, Gadeia e Dieguinho. Os gols dos catalães foram anotados por Salgado e Esteban.

Ricard Rovira

Dois amistosos e duas vitórias na Catalunha

A seleção utilizou os goleiros Tiago e Léo. Para a linha foram escalados Éder, Matheus, Dyego, Daniel, Marcênio, Dieguinho, Fernandinho, Ferrão, Gadeia, Rafael Rato e Bruno Taffy. Esta foi a primeira convocação de PC Oliveira, que optou por utilizar um grupo formado majoritariamente por atletas que atuam fora do país.

Início arrasador

O Brasil começou melhor e não demorou mais que quatro minutos para abrir o placar. Em descida rápida para o ataque, Ferrão, Gadeia e Rato tabelaram e quem empurrou a bola para o fundo do gol foi Ferrão, já sem goleiro. Aos cinco, Dyego fez bonita jogada individual e quase aumentou a vantagem. De tanto insistir, o Brasil chegou ao segundo gol aos sete, com Matheus, completando passe de Fernandinho. Dominado, o time catalão não tinha forças para reagir. Aos 13, Gadeia finalizou de pé esquerdo e fez 3 a 0.

A Catalunha só foi ter a primeira chance a cinco minutos do intervalo. Após receber na frente, Salgado foi desarmado por Tiago. Pouco depois, foi a vez de Carlos Coco concluir para fora. Demonstrando muita qualidade no passe de bola, a seleção chegou ao quarto gol aos 16, com Dieguinho. A Catalunha, enfim, conseguiu diminuir aos 17 em cobrança de tiro livre direto. Para a jogada, PC Oliveira lançou o goleiro reserva Léo, que não conseguiu defender o chute de Salgado: 4 a 1, placar da etapa.

Catalunha cresce no segundo tempo

O time anfitrião voltou para o segundo tempo com uma postura mais organizada. Tanto é que Esteban fez o segundo gol dos catalães aos dois minutos. Aos cinco, Davi Rangel quase fez o terceiro em toque de calcanhar. Tiago fez ótima defesa. O Brasil respondeu na sequência numa bola na trave de Dyego.  Dois minutos depois, Gadeia carimbou o poste novamente. Aos poucos, o ritmo da partida foi caindo. O Brasil só foi assustar aos 15, quando Pito colocou o goleiro Juan para trabalhar.

Empolgado, o mesmo Pito carimbou a trave catalã pela terceira vez na partida. Os donos da casa também tiveram mais uma chance de marcar aos 18. Contudo, a bola de Salgado passou rente ao travessão. O minuto final foi de pressão da seleção da Catalunha. Jogando com goleiro-linha, o time da casa esbarrou no bom bloqueio defensivo do Brasil, que conseguiu segurar o resultado.