Mauricio Moreira

Campeão, artilheiro da equipe, eleito o melhor ala esquerdo e craque do campeonato. Este é o saldo de Baron na LNF 2018

De fora da quadra, Danilo Baron sofreu como qualquer torcedor do Pato. Artilheiro do time na LNF 2018 com 17 gols, o ala não pôde participar das finais por conta de uma fratura na fíbula, sofrida na semifinal do Paranaense, há uma semana. Após 50 minutos de tensão, porém, Danilo enfim pôde soltar o grito de “é campeão”, graças a um gol de Di María na prorrogação. Como não bastasse o título, o ala ainda soube após a partida que ganhou a Bola de Ouro (prêmio dado ao melhor jogador) da LNF 2018.

“Hoje eu entendi o significado da expressão “teste para cardíaco”. Fiquei lá em cima sofrendo na maior agonia, torcendo e gritando. No fim vim aqui para baixo para ajudar a motivar o time, e, graças a Deus, deu tudo certo”, disse o ala.

Eleito o melhor da sua posição na temporada, Baron concorreu com os outros quatro integrantes da seleção da LNF – o goleiro Careca (Atlântico), o ala Leandro Lino (Magnus), o fixo Batalha (Pato) e o pivô Keké (Atlântico). Com 34% dos votos, o ala teve uma briga acirrada com Careca (31%) na eleição realizada no site oficial da Liga.

“Ser eleito o melhor jogador da Liga é uma satisfação enorme, mas o mais importante é ser campeão. Se o time não ganhasse hoje, não ia valer muito. Independentemente da premiação, o grupo do Pato hoje foi todo muito bem. O Di María e o Rodriguinho hoje foram essenciais. Estou muito feliz por todos”, disse o craque da LNF 2018.

Com longa passagem pelo Corinthians, Danilo deixou o Parque São Jorge ao fim de 2012 após não ter o seu contrato renovado. Em 2013, ele atuou pelo São José, antes de se transferir para o Kairat Almaty, do Cazaquistão. Após passagem pelo Guarapuava e Joinville, Baron chegou ao Pato no início de 2017, onde se tornou ídolo. Com proposta do Magnus para 2019, o ala falou sobre o seu futuro: “Vamos conversar na semana que vem. Ainda temos as duas fases finais do Paranaense”, finalizou.