Brasil e Espanha, as duas seleções com mais história no futsal mundial se encontraram neste domingo em Caceres (Espanha) para o primeiro de dois amistosos estre as equipes. Como era esperado, o jogo foi muito equilibrado. A Espanha começou melhor, abriu 2 a 0, mas o a Seleção Brasileira foi para cima e arrancou o empate.

Seleção Espanhola

Brasil teve poder de reação para buscar o empate diante da Espanha

Este é o terceiro amistoso que o Brasil faz na península ibérica. Na quarta-feira, goleou Portugal por 6 a 1. Na sexta, voltou a bater a seleção lusa por 4 a 0. O último jogo da série de amistosos será de novo contra a Espanha, em Madrid, na próxima terça-feira.

O jogo

Brasil e Espanha já fizeram quatro finais de Copa do Mundo entre si com três vitórias canarinhas (96, 2008, 2012) e uma espanhola (2000). Por isso, a rivalidade e o respeito entre as seleções é muito grande. E isso ficou claro logo no início do jogo, com as duas seleções arriscando pouco. Com isso, o tempo passava e poucas chances apareciam.

O Brasil foi o primeiro a se soltar mais. Primeiro, com Pito, que fez a jogada e acertou um belo chute. Mas faltou sorte. A bola bateu no travessão, na base da trave e saiu. Pouco depois foi a vez de Dieguinho acertar a trave com um bom chute. A Espanha também acertou a trave, em chute cruzado de Lin. Porém, a seleção da casa teve mais sorte. A bola voltou no pé do mesmo Lin, que só empurrou pra rede e abriu o placar.

Em desvantagem, o Brasil voltou para o segundo tempo precisando pressionar. E foi o que fez. Mas a Espanha se defendia bem e, quando a seleção conseguia passar pela marcação, parava em Herrero. O goleiro defendeu bom chute de Pito que tinha endereço certo.

Espertamente, a Espanha esperava por um erro do Brasil. E foi o que aconteceu. Rafa Usín aproveitou e bateu para fazer o segundo. Mas o Brasil não se entregou. Os minutos seguintes viraram um bombardeio contra o gol espanhol. Herrero, inspirado, fazia grandes defesas. Mas era muita pressão. E Dyego conseguiu superar a boa fase do goleiro rival para diminuir. Embalado, o Brasil foi pra cima e empatou com Gadeia. A seleção ainda buscou o gol da vitória jogando com goleiro-linha, mas já não havia mais tempo.