Após um eletrizante empate em 2 a 2 no tempo normal, Brasil e Espanha caminhavam para decidir o Mundial de Futsal 2012 nos pênaltis quando Neto encontrou forças para marcar um gol que entrou para a história. Em linda jogada individual pela ala-esquerda, o defensor deixou a marcação espanhola para trás e fuzilou a meta do goleiro Juanjo, marcando a 19 segundos do fim do tempo extra. A Espanha ainda pressionou nos instantes derradeiros, mas não teve jeito. A festa em Bangcoc era brasileira. Confira histórias do Neto sobre a final do Mundial AQUI.

Chris McGrath

Autor do gol do título, Neto ainda faturou a Bola de Ouro Fifa de melhor jogador do mundo em 2012

O inesquecível duelo entre Brasil e Espanha no dia 18 de novembro de 2012 é o tema do terceiro episódio do Especial SporTV Futsal. A partida que decidiu o Mundial da Tailândia será reexibida neste sábado, a partir das 12h, com a transmissão original feita pelo narrador Daniel Pereira e pelo comentarista Marcelo Rodrigues.

– Foi um jogo louco. O Brasil ganhou restando 19 segundos para terminar. A gente lembra muito do gol do Neto, mas teve uma defesa salvadora do Tiago no segundo final. Para mim, esse foi o título mais marcante e mais difícil do Brasil em Mundiais de Futsal – comentou Daniel Pereira.

Para Marcelo Rodrigues, os espanhóis souberam trabalhar muito bem a bola parada, o que acabou impondo dificuldades ao Brasil até o gol salvador de Neto.

Chris McGrath

Tiago desaba no chão após fazer a última defesa do jogo

– Foi um jogo extraordinário. Começamos na frente, a Espanha virou, aproveitando muito bem a bola parada e aí a gente teve uma certa dificuldade para chegar ao empate no tempo normal, com o Falcão fazendo o gol. Aí veio a prorrogação, e o Neto decidiu naquela jogada extraordinária – destacou Marcelo Rodrigues. Confira o depoimento de Falcão sobre a final contra a Espanha AQUI.

 

Primeiro tempo movimentado, mas sem gols

O jogo começou truncado, com as duas equipes marcando muito. Aos dois minutos, Fernandinho arriscou da esquerda da quadra de ataque e mandou por cima. A resposta da Espanha veio em grande estilo. Em tabela rápida, Lozano recebeu livre e tocou para o gol. Vinicius tirou em cima da linha, salvando o Brasil.

Aos poucos, os espanhóis foram gostando da partida. Acuada, a seleção brasileira não conseguia ficar com a bola. Aos 12, Fernandão avançou em contra-ataque e chutou rente ao travessão. O goleiro brasileiro Tiago mal teve tempo de descansar. Segundos depois, o mesmo Fernandão dominou na entrada da área e bateu rasteiro. Tiago tirou com os pés.

Chris McGrath

Vinicius na marcação de Alemão, brasileiro naturalizado espanhol

A cinco minutos do fim, o Brasil finalmente conseguiu assustar a defesa adversária. Em saída rápida para o ataque, Vinicius rolou bola limpa para Ari, que acabou travado por Kike no momento da conclusão. Aos 18, Jé dominou na intermediária e Rafael Rato chegou chutando com força, assustando o goleiro espanhol Juanjo.

 

Falcão entra no segundo tempo

O Brasil voltou para o segundo tempo com Falcão em quadra. Recuperando-se de uma lesão na panturrilha sofrida na primeira partida do Mundial – além da paralisia facial, ocorrida nas quartas de final -, o camisa 12 deu novo ritmo à decisão. Aos três minutos, o craque tabelou com Fernandinho e bateu para fora, à direita da baliza. A seleção sentiu o bom momento e continuou atacando. Aos quatro, Rafael Rato girou para cima da marcação e chutou rasteiro. Juanjo tirou com o pé.

O gol brasileiro estava maduro e ele saiu aos cinco. Após cobrança de escanteio de Rato, Neto pegou de primeira, acertando o canto esquerdo de Juanjo: 1 a 0. Em desvantagem, a Espanha passou a sair mais para o jogo, sendo premiada aos 10. Em cobrança de falta frontal, Tiago deu rebote, e Torras apareceu para conferir, igualando em 1 a 1. Um minuto depois, a Espanha viraria. Em lance semelhante ao gol de Neto, Aicardo emendou cobrança de escanteio, e Tiago não conseguiu segurar. Confira AQUI o que o goleiro Tiago também falou sobre a grande final.

Chris McGrath

Entrada de Falcão mudou o panorama da final

O Brasil não se abateu e continuou bem na decisão. Aos 13, Falcão chutou forte da lateral esquerda, para uma difícil intervenção de Juanjo. Quatro minutos depois, veio o gol de empate. Falcão, sempre ele, arriscou da intermediária, e o goleiro espanhol não conseguiu chegar a tempo: 2 a 2, placar do tempo normal.

 

Jogo aberto na prorrogação

A partida seguiu lá e cá na prorrogação. Aos dois minutos, o espanhol Lin tentou um chute frontal, e Vinicius tirou com o peito. Na jogada seguinte, Tiago lançou Falcão no ataque, ele dominou sozinho, mas acabou adiantando muito. A 45 segundos do fim do primeiro tempo, Miguelin limpou para o meio e soltou uma bomba. Tiago voou para salvar o Brasil. Antes do intervalo, Neto ainda assustou a defesa espanhola, finalizando rente à trave, na última oportunidade do período.

No segundo tempo, a primeira grande chance surgiu aos três minutos, quando Fernandinho dividiu com a defesa espanhola, e a bola sobrou limpa para Neto, que mandou por cima. A pouco mais de um minuto do fim, a Espanha cometeu a sexta falta. Tiro livre direto para o Brasil. Na cobrança, Juanjo defendeu o chute de Rodrigo, dando a impressão de que a sorte estava ao lado dos espanhóis.

Lars Baron

Neto explode de alegria ao marcar o gol do título

Só que, a 19 segundos do fim, veio o momento que seria eternizado. Em jogada individual, Neto avançou pela lateral e soltou uma bomba certeira: 3 a 2. Jogando com Kike como goleiro-linha, a Espanha foi para o tudo ou nada nos segundos finais. No último lance da partida, Tiago ainda voou no ângulo para salvar o Brasil de levar novo empate. Título com sabor especial para Neto, que, oito anos antes, perdera a cobrança de pênalti decisiva na semifinal do Mundial de Taiwan, contra a mesma Espanha. Confira o depoimento de Daniel Pereira e Marcelo Rodrigues sobre o título mundial em 2012.